Colunas

POLÍTICA & POLÍTICOS

O governador Carlos Moisés é candidato a reeleição em 2022, com expectativa de, neste tempo, colocar ordem na casa e recuperar as finanças do Estado. Comenta-se nos bastidores, com o prefeito Antídio Lunelli (MDB) de vice…

20/09/2019

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

POLÍTICA & POLÍTICOS

Vice ativo- Salvo acidentes de percurso, o governador Carlos Moisés é candidato a reeleição em 2022, com expectativa de, neste tempo, colocar ordem na casa, recuperar as finanças do Estado e, por consequência, chegar ao ano eleitoral com saldo positivo em investimentos prioritários. Sempre descolado das trapalhadas do presidente Bolsonaro e seus ministros, com os quais pretende manter apenas um relacionamento formal. E, comenta-se nos bastidores, com o prefeito Antídio Lunelli (MDB) de vice. E é exatamente o que ele precisa, um vice ativo. Em tempo: Moisés tem dado aos deputados do MDB um tratamento vip. Mas essa composição majoritária vai depender muito da performance de Lunelli nas urnas em 2020.

Aeroporto- Jair Bolsonaro (PSL) e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, são os principais convidados para a inauguração do novo aeroporto internacional de Florianópolis no dia 28 de setembro. Um espetacular investimento da iniciativa privada pelo grupo Zurich Airpot (empresa suíça) de R$ 570 milhões. São 49 mil m2 de área construída e capacidade para 8 milhões de passageiros/ano privatizados por 30 anos.

Com atraso- A obra, que não é pública e, por isso mesmo, sem propinas ou desvios, começou em janeiro de 2018 e ficou pronta em agosto, antes do prazo. O aeroporto é um da lista de privatizações que a União pretende fazer. Incluindo o de Navegantes. Em tempo: o novo acesso, de responsabilidade do Estado, está com atraso. Muitos imóveis ainda não foram desapropriadas. E isso é novidade?

Sede própria- Sobre nota, ontem (19) de Câmaras de Vereadores que não têm sede própria na região do Itapocu, na verdade a exceção fica por conta de Massaranduba, onde o Legislativo funciona em salas anexas ao prédio da Prefeitura. A de Jaraguá do Sul, embora para lá de acanhada, tem sua sede própria no antigo prédio da Associação Empresarial, na Avenida Getúlio Vargas. De quem comprou o imóvel no ano de 2000, na gestão de Afonso Piazera Neto.

Protesto- Intersindical e Sindicato dos Petroleiros fazem manifestação hoje (20) contra possível privatização da Petrobras, com terminal de distribuição na BR-280, Bairro Corticeira, e (sic) “a destruição do Brasil que vem sendo promovida pelo governo federal…) com cortes na Educação e Reforma da Previdência. O ato será em frente ao prédio à Câmara de Vereadores de Guaramirim, entre 15h e 18h30.

Recuperar- Governo do Estado e o Consórcio Intermunicipal Catarinense assinaram na quarta-feira (18) o primeiro contrato do Programa Recuperar para manutenção de rodovias estaduais. É o maior consórcio do gênero envolvendo 64 cidades, maioria do Oeste e incluindo Garuva, Itapóa e São Francisco do Sul, na região de Joinville. São 1.651,7 quilômetros de rodovias e uma população de 764 mil habitantes. Por enquanto, o Vale do Itapocu ainda não aderiu.

Sem benefícios- O ministro da Justiça, Sérgio Moro, recebeu o deputado estadual Sargento Lima (PSL/SC), que entregou proposta de emendar o projeto de lei anticrime, que tramita no Congresso Nacional. Lima sugere que se acabe com a progressão de regime da pena- de fechado para-semiaberto, por exemplo- para os crimes contra a vida de agentes de segurança. Abrangendo policiais civis e militares estaduais e federais, agentes penitenciários e seguranças privados no exercício da função. O deputado entende que se trata de crimes contra o próprio Estado. Dando retaguarda jurídica a quem dedica a vida à proteção da sociedade.

Licitações- Vinte e quatro aos depois a nova lei de licitações públicas foi aprovada na Câmara dos Deputados, mudando a legislação atual, cheia de brechas para corruptos e corruptores. O que “justifica” tanta embromação A nova lei, que vai para o Senado, dá total transparência aos contratos, com segurança a quem contrata e quem recebe. O deputado Carlos Chiodini (MDB) foi um dos 298 votos favoráveis ao projeto do ex-senador Lauro Campos (PT/DF). Que morreu em 2003.

Ministério da Saúde anuncia corte de 40% nas verbas do orçamento de 2020 destinadas aos hospitais filantrópicos para procedimentos de média e alta complexidade. O que já motivou correria de dirigentes dos 110 estabelecimentos do gênero em SC, entre eles o São José e o Hospital Jaraguá. Todos, sem exceção, ou à beira da falência ou com o caixa raso. Em todo o país, são R$ 500 milhões a menos, atingindo 7 milhões de pessoas.

Notícias relacionadas

x