Colunas

Ponte do Bananal

Na obra, de responsabilidade do Estado, foram investidos R$ 2,7 milhões do Fundo de Apoio aos Municípios e R$ 1,9 milhão em recursos do município.  Mas ainda falta a pavimentação dos acessos.

05/02/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Com edital lançado em 2013 e ordem de serviço assinada em 2015, nos governos do ex-prefeito Lauro Fröhlich (PSD) e Raimundo Colombo (PSD), a Ponte do Bananal, ligando o Centro de Guaramirim (proximidades da Polícia Rodoviária Federal) e a região de Bananal do Sul, sobre o Rio Itapocu, está pronta desde o ano passado.

Na obra, de responsabilidade do Estado, foram investidos R$ 2,7 milhões do Fundo de Apoio aos Municípios e R$ 1,9 milhão em recursos do município.  Mas ainda falta a pavimentação dos acessos.

Acesso à 280

E não só isso, observa o prefeito Luiz Antônio Chiodini (PP): o Estado (que toca as obras de duplicação da BR-280 no trecho urbano de Guaramirim) deve achar um meio de agilizar o acesso de quem vem do Bananal com destino a Jaraguá do Sul.

Uma rotatória, por exemplo, que não está prevista nas obras em andamento. Sem isso, diz o prefeito, a ponte não terá a funcionalidade desejada. Mesmo ainda não inaugurada, a ponte já é usada por muitos pedestres, ciclistas e motociclistas, evidenciando sua importância na mobilidade urbana.

Majoritária

Rolam conversas entre o ex-deputado federal Paulinho Bornhausen, presidente de honra do Podemos catarinense e o prefeito Antídio Lunelli (MDB).

Como interlocutor o prefeito reeleito de Blumenau, Mário Hildebrandt.

Ambos querem Lunelli filiado ao Podemos para a disputa majoritária de 2022, já que no MDB ele dificilmente terá espaço para uma empreitada desse porte. Enquanto isso, Raimundo Colombo assume o PSD em SC, já de olho em 2022.

Prisão

Pela segunda vez, num espaço de 13 dias, a Assembleia Legislativa revogou a prisão preventiva (domiciliar) do deputado Júlio Garcia (PSD), decretada pela 1ª Vara de Justiça Federal de Florianópolis no dia 21 de janeiro. Mas sem deliberar sobre as medidas cautelares contra Garcia, acusado de lavagem de dinheiro, corrupção e outros crimes, judicializadas junto ao STF.

A votação

Bruno Souza (Novo), Ivan Naatz (PL), Jessé Lopes (PSL), Marcius Machado (PL) e Sargento Lima (PSL) votaram contra a prisão. Ana Campagnolo e Coronel Mocellin, ambos do PSL, se abstiveram, enquanto Ada de Luca (MDB), que se recupera da Covid-19, Vicente Caropreso (PSDB), Paulinha (PDT) e Silvio Dreveck (PP) se ausentaram.

Pois é

“Investir na BR-470? Acho positivo, desde que se tenha condições de manter as rodovias estaduais”. Discurso do deputado Ismael dos Santos (PSD/Blumenau) sobre proposta do governador Carlos Moisés (PSL) de investir dinheiro do Estado na duplicação daquela rodovia. A cada R$ 50 bilhões de impostos para Brasília, apenas R$ 8 bilhões retornam.

Convite aceito

Expulso do PSB em setembro de 2018, por ter apoiado publicamente o então candidato Jair Bolsonaro (pelo PSL), o ex-prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, atualmente filiado ao PSL do governador Carlos Moisés, aceitou convite para assumir a secretaria estadual do Desenvolvimento Econômico Sustentável, que já foi ocupada pelo deputado federal Carlos Chiodini (MDB) no governo de Raimundo Colombo (PSD).

Buligon, que também “rodou” pelo MDB e DEM, foi convidado por Moisés (PSL), em reunião articulada pelo chefe da Casa Civil, Eron Giordani (PSD), que é de Chapecó e velho conhecido de Buligon.

Quem é

Advogado, Buligon foi titular da extinta Secretaria de Desenvolvimento Regional de Chapecó. Ele estava na lista de passageiros do Voo LaMia 2933, como convidado, para assistir, em Medellin (Colômbia), ao jogo da  Chapecoense contra o Atlético Nacional pela  Copa Sul-Americana. Porém, por compromissos políticos do PSB com os prefeitos eleitos do partido, de São Paulo, ele não acompanhou a delegação.

O avião caiu (na noite de 29 de novembro de 2016), matando 71 pessoas entre jogadores, dirigentes, membros da comissão técnica, tripulantes, jornalistas e convidados, restando apenas seis sobreviventes.

 

Receba as colunas e notícias do JDV no seu WhatsApp!

Notícias relacionadas

x