Colunas

Prévias só em fevereiro

As máscaras ajudaram a esconder os sorrisos amarelos e o que pesou, de fato, foi a unidade da bancada na Assembleia Legislativa

25/08/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

As máscaras ajudaram a esconder os sorrisos amarelos e o que pesou, de fato, foi a unidade da bancada na Assembleia Legislativa: agora, eleição prévia para indicar o candidato do MDB a governador, só em fevereiro. Porém, sem a participação direta dos 185 mil filiados do partido.

Na verdade, em sua maioria quase absoluta ausente da vida partidária. Por isso mesmo, agora o voto será aberto apenas para os membros dos diretórios estadual e municipais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Proposta defendida (e acatada) pelo ex-governador Paulo Afonso Evangelista Vieira na segunda-feira (23).

Bancada com Moisés

O prefeito Antidio Lunelli e o deputado federal e presidente do MDB, Celso Maldaner, defendiam as prévias com todos os filiados ainda em 2021, mantendo decisão tomada em março pelo diretório estadual. Mas, dessa vez, o “goela abaixo” não funcionou.

Ao contrário, escancarou ainda mais a força da bancada estadual, perfeitamente alinhada e satisfeita, diga-se, com o governador Carlos Moisés (sem partido). Só para lembrar: o deputado estadual licenciado, Luiz Fernando Vampiro (MDB), é o secretário estadual da Educação.

Berger sai fortalecido

Lunelli se mostrou irritado com a mudança, mas disse que acata a decisão. Lideranças próximas ao prefeito acham que ele já foi “rifado” em sua pretensão de se candidatar a governador. Já o senador Dario Berger, outro dos três pretendentes a cabeça de chapa, acredita que será beneficiado.

O senador venceu a queda de braço com Lunelli. Ainda se cogita por chapa única ao governo do Estado. Mas, com quem? Nesta disputa interna, Dario e Lunelli mal se cumprimentam. Nas fotos oficiais nunca aparecem lado a lado.

Pais e filhos no crime

Por crimes de organização criminosa, corrupção, fraudes à licitação e lavagem de dinheiro, o ex-prefeito de Major Vieira e ex-presidente da Federação Catarinense de Municípios, Orildo Antônio Servegnini (MDB), foi condenado a 57 anos 10 meses. Seu filho, Marcus Vinicius Brasil Severgnini, membro da quadrilha, pegou 41 anos e 6 meses. Decio Pacheco e Decio Pacheco Jr, também pai e filho, foram condenados a 53 anos de prisão (cada um).

Obras superfaturadas

As duas duplas de pais e filhos desviavam valores públicos com superfaturamento de obras públicas de engenharia. Os valores subtraídos criminosamente eram ocultados com lavagem de dinheiro e transferência de imóveis para o nome de terceiros. Orildo e o filho ainda respondem a outras três ações de mesmo teor na Vara Criminal de Canoinhas. Mas todos os quatro seguem livres, leves e soltos porque as sentenças são passíveis de recursos.

Acredite, se quiser

Tal e qual o prédio da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, que além de problemas estruturais não tem sequer os alvarás exigidos e o obrigatório “habite-se”, também todas as edificações que compõem a sede administrativa do governo do Estado, em Florianópolis, são alvo de ação do Ministério Público de SC em ação civil pública acatada pela 28ª Promotoria de Justiça da Capital. Os prédios não têm nem mesmo vistorias do corpo de bombeiros e os alvarás que o próprio Estado exige de outros órgãos públicos e da iniciativa privada.

Esgoto sem tratamento

E o mais incrível, diz a ação movida pelo MP: não há sequer sistema de esgoto sanitário de acordo com a normas técnicas e ambientais vigentes. Traduzindo, o sistema não está ligado à rede de coleta e tratamento de esgotos. A Câmara de Jaraguá já deixou esgotar o prazo dado pelo MP para desocupar o prédio.

Há poucos dias, informação não oficial, dava conta de que o Legislativo mudaria seu endereço provisoriamente para instalações da universidade Católica de SC. O que ainda não ocorreu. Em Florianópolis, o prazo para a regularização é de 90 dias.

Notícias relacionadas

x