Sem categoria

Principais cuidados para evitar afogamentos

 Leia as recomendações do CBMSC para diminuir os riscos de afogamentos em qualquer ambiente aquático

03/01/2020

Por

Principais cuidados para evitar afogamentos

O Litoral de Santa Catarina conta com mais de 450 quilômetros de extensão e centenas de praias excepcionais para o banho. Também são inúmeros os recantos convidativos – rios, lagos, lagoas, cachoeiras e barragens – para momentos de lazer e diversão no interior do Estado. Leia as recomendações do CBMSC para diminuir os riscos de afogamentos nestes ambientes:

 Procure preferencialmente locais com o serviço de Guarda Vidas 

– Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente

– Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza

– Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso)

– Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193

– Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista

– Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes

– Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio

– Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar

– Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis

 

EM LOCAL MONITORADO

– Para maior segurança, banhe-se num raio de 200m do posto de guarda-vidas

– Atente para a sinalização de praia. Observe a bandeira fixada no posto dos guarda vidas:

  • Vermelha: risco elevado de afogamentos
  • Amarela: risco médio de afogamentos
  • Verde: risco baixo de afogamentos

– As bandeiras vermelhas na faixa de areia indicam as correntes de retorno. Evite estes pontos.

– Sempre acate as orientações dos guarda-vidas

 

NO AMBIENTE DOMÉSTICO 

No Brasil, estima-se que ao menos 7 mil pessoas são vítimas deste tipo de acidente a cada ano. Parte destes óbitos ocorre em ambiente residencial e envolve crianças pequenas. Veja algumas recomendações para diminuir o risco deste tipo de ocorrência: 

– Mantenha portas de áreas de serviço e banheiros fechadas

– Guarde recipientes como baldes e bacias de cabeça para baixo

– Instale redes de proteção no entorno de piscinas

– Evite o uso de boias ou flutuadores, prefira um colete salva-vidas

– Não mantenha brinquedos próximos a piscina. Isto atrai crianças.

– Jamais deixe uma criança sozinha na piscina

– Após utilizar a piscina, impeça o acesso ao espaço

Fonte: Corpo de Bombeiros de Santa Catarina

 

Notícias relacionadas

x