Trânsito

SC-108/VILA FREITAS – Rodovia será reaberta hoje em caráter provisório nos dois sentidos

O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, observa que a abertura da rodovia foi possível em função dos trabalhos já realizados durante a obra de contenção que elevaram o fator de segurança

14/01/2020

Por

SC-108/VILA FREITAS – Rodovia será reaberta hoje em caráter provisório nos dois sentidos

A Defesa Civil de Santa Catarina informa que a partir desta terça-feira (14) o trânsito na SC-108, no Morro Guaramirim, que dá acesso a Massaranduba (Morro do Schmidt/Vila Freitas), será liberado para todos os tipos de veículos (leves e pesados), em ambos os sentidos. Com as intervenções já realizadas na rodovia, atingiu-se um nível de segurança que permite a liberação do trânsito até a conclusão dos trabalhos, de forma controlada e monitorada.

A medida tem caráter provisório e poderá sofrer alterações. Quando houver a constatação de índices pluviométricos elevados na localidade, o trânsito poderá ser fechado. Assim como em futuras intervenções necessárias. Um desvio sobre o aterro à margem da rodovia foi construído para garantir a liberação de duas faixas de rolagem. A faixa asfáltica na borda do deslizamento permanecerá interditada. Os detalhes operacionais da reabertura da SC-108, foram definidos pela Defesa Civil de Santa Catarina em reunião na tarde de quinta-feira (9), em Guaramirim. A Defesa Civil coordena a operação.

A Prefeitura auxiliou com material e maquinário para o desvio e melhoria na iluminação do local. Além disso, a sinalização foi reforçada por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura. A abertura tem caráter provisório já que poderão ocorrer fechamentos da rodovia para trabalhos específicos em função das obras de estabilização que seguem no local. O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, observa que a abertura da rodovia foi possível em função dos trabalhos já realizados durante a obra de contenção que elevaram o fator de segurança. Ele esteve no local na quinta-feira para verificação.

Recuperação com previsão de entrega no final de março

As obras de recuperação do trecho danificado da SC-108, no Morro Schmidt/Vila Freitas, devido ao escorregamento havido no dia 18 de fevereiro do ano passado, foram prorrogadas por mais 95 dias, com previsão de entrega no final de março. Segundo a Defesa Civil, a empresa contratada realizou solicitação de prorrogação de prazo.

As alegações foram as seguintes:

1 – Altos índices pluviométricos registrados no mês de dezembro que impediram o avanço dos trabalhos (foi constatado que 60% dos dias no período foram impróprios para a execução da obra).

2 – Deslizamentos na encosta provocados pela a instabilidade do solo (foi constatada a ocorrência de deslizamentos durante o período, que acarretaram retrabalho e também uma operação com maiores precauções devido ao risco aos operários).

3 – Quantidade de material retirado do local da obra e também de aterro foi seis vezes maior do que a quantidade prevista em contrato (foi constatada a discrepância entre o contratado e o efetivamente realizado). Por conseguinte, foi autorizada a prorrogação de prazo por mais 95 dias, ficando o término da obra previsto para 31 de março de 2020.

É uma previsão otimista, que poucos acreditam que aconteça. É a segunda prorrogação de prazo. Na entrega da ordem de serviço foi dito que a obra estaria pronta em 90 dias. Depois foi prorrogado para 27 de dezembro e, agora, para 31 de março.

Mobilização apolítica cobra providências na aceleração das obras

Uma mobilização realizada no final da tarde do dia 8 de janeiro reuniu mais de 150 pessoas no pátio de uma empresa na Rua Carlos Oechsler, na Ilha da Figueira, em Jaraguá do Sul, de caráter apartidário, envolvendo lideranças políticas, comunitárias, empreendedores e moradores. No ato foi lido um manifesto pelo presidente da OAB-SC, Gustavo Pacher, colocando a preocupação com a nova prorrogação de prazo para a conclusão das obras de contenção e reparo da SC-108, no Morro Guaramirim (Morro do Schmidt/Vila Freitas), afetado pelo deslizamento no dia 18 de fevereiro do ano passado.

O manifesto narra todo o processo que gerou o escorregamento de terra em um trecho da rodovia devido ao excesso de chuvas e falta de manutenção regular, a decretação da situação de emergência pela Prefeitura de Guaramirim, a falta de agilidade do Governo do Estado em executar a obra emergencial, tendo recorrido ao Governo Federal para obtenção de recursos junto a Defesa Civil.

O Estado percorreu um longo e difícil caminho. As obras somente iniciaram em agosto, mais de cinco meses depois da ocorrência. A lentidão das obras é que preocupa. O prazo inicial de 90 dias venceu e um novo foi dado, para 27 de dezembro. E, na semana passada, uma nova prorrogação foi dada, para 31 de março, mais de um ano depois do desastre.

Desde então, todo o trânsito foi desviado pela Av. Izídio Carlos Peixer e Anélio Nicocelli (Guaramirim) e trecho da Rua José Theodoro Ribeiro e Carlos Oechsler (Jaraguá do Sul), causando a destruição da sua estrutura, uma vez que não foram dimensionadas para tráfego pesado e intenso. Essa longa interdição da rodovia trouxe elevados prejuízos sociais e econômicos à região. A ineficiência do Estado colaborou com esse estado de coisas. Um abaixo-assinado – com mais de cinco mil assinaturas – está correndo, cobrando agilidade do Estado na execução da obra, como também a recuperação das vias municipais danificadas.

Notícias relacionadas

x