Economia

SC cria programas a produtores rurais atingidos por fenômenos climáticos

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural terá dois novos projetos especiais com financiamentos sem juros, além de mudanças em duas linhas de apoio já existentes.

02/09/2020

Por

SC cria programas a produtores rurais atingidos por fenômenos climáticos

Os produtores rurais e pescadores que sofreram prejuízos devido à fenômenos climáticos extremos – como o tornado e ciclones que atingiram Santa Catarina este ano – contarão com o apoio do Governo do Estado para recuperação das infraestruturas danificadas.

A Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural terá dois novos projetos especiais com financiamentos sem juros, além de mudanças em duas linhas de apoio já existentes.

As medidas foram aprovadas pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural (Cederural) na sexta-feira, 28.

Leia Mais:

Com o Projeto Reconstrói-SC, os produtores rurais e pescadores poderão contrair financiamentos de até R$ 10 mil, com cinco anos de prazo para pagamento, dois anos de carência, com parcelas anuais e sem juros. A Secretaria da Agricultura dará uma subvenção de 50% para cada parcela paga em dia.

BANANA – A bananicultura foi um dos setores mais afetados pelos últimos efeitos climáticos que atingiram Santa Catarina. Para apoiar a recuperação de pomares danificados, a Secretaria da Agricultura irá investir R$ 2 milhões em financiamentos, sem juros para os produtores rurais.

Os produtores de banana, enquadrados no Pronaf, poderão acessar um financiamento de até R$ 10 mil por hectare de pomar implantando e ou recuperado, limitados a R$ 20 mil por unidade familiar. O prazo para pagamento será de até 5 parcelas anuais, sem juros, com até dois anos de carência.

No dia 30 de junho o ciclone bomba atingiu praticamente todo o Estado e a agricultura contabilizou perdas na ordem de R$ 304,6 milhões.

Já nos dias 14 e 15 de agosto, o tornado atingiu estabelecimentos agropecuários em 22 municípios, com perdas de R$ 50 milhões, inclusive em Massaranduba e São João do Itaperiú.

Notícias relacionadas

x