Estadual

SCGÁS registra R$ 45 milhões em investimentos e recordes de vendas em 2020

Em 2020 foi iniciada também a operação da rede isolada de gás natural em Lages, a primeira de Santa Catarina, que servirá de modelo para interiorizar a oferta do insumo e contribuir com o desenvolvimento socioeconômico de novas regiões.

29/12/2020

Por

O setor de gás natural em Santa Catarina chega ao final de dezembro com resultados positivos no balanço do ano, superando adversidades impostas pela crise sanitária e econômica internacional.

O primeiro dos cinco anos contemplados no maior pacote de obras da história da companhia termina com investimentos superiores a R$ 45 milhões, segundo maior montante da última década. 

A ampliação da infraestrutura de distribuição responde pela maior parcela desses investimentos: a rede de gás natural no estado teve um acréscimo de mais de 45 Km e chegou a um total de 1.260 Km de extensão.

O início de atendimento ao município de Laurentino, onde a SCGÁS concretizou ao mesmo tempo o marco de 300 indústrias consumidoras, fez o número de cidades abastecidas subir para 64.

Em 2020 foi iniciada também a operação da rede isolada de gás natural em Lages, a primeira de Santa Catarina, que servirá de modelo para interiorizar a oferta do insumo e contribuir com o desenvolvimento socioeconômico de novas regiões.

Buscando ampliar cada vez mais o atendimento ao mercado, a distribuidora bateu recorde de ligação de clientes em um único ano: em 2020 o número de novas unidades consumidoras em diversos segmentos é superior a 1,5 mil.

O mês de setembro foi marcado pelo maior pico diário de vendas da história, um total de 2.333.731 de metros cúbicos, já outubro teve o maior volume mensal de vendas, um total de 65.814.488 de metros cúbicos.

Em novembro houve a maior média diária de comercialização: 2.137.712 de metros cúbicos. 

Tarifa e Suprimento

Em 22 de março foi celebrado novo contrato de aquisição de gás natural com a Petrobras em razão do término do objeto anterior, que havia sido assinado na metade da década de 1990.

A negociação contemplou duas cláusulas fundamentais para garantir os resultados registrados em 2020 e boas perspectivas para o curto e médio prazo.

Está englobada a transição gradual de preços, que manteve as tarifas de gás natural como as mais competitivas do país no ano, e a possibilidade de redução dos volumes contratados, visando negociações de suprimento com novos players para gerar maior competição no setor. 

Com o fim do período de atualização de preços do antigo para o novo contrato de suprimento com a Petrobras, o anúncio é de que o reajuste ordinário nas tarifas de gás natural em 1º de janeiro seja de 28% em média.

No acumulado de 2020, as tarifas sofreram redução média de 8%, puxadas pela baixa do barril de petróleo no início da pandemia, um dos fatores que causam o percentual de alta prevista para o ano que vem. 

Se desconsiderada a inesperada baixa nos preços provocada pelo cenário atípico do ano, o percentual de aumento real das tarifas de gás natural na faixa de consumo de uma das tarifas praticadas ao mercado industrial é de aproximadamente 14%, quando comparados os valores de janeiro de 2020 e os homologados pela Aresc para janeiro de 2021. Esse percentual é de pouco mais de 5% para o mercado de gás natural veicular (GNV), em relação ao mesmo período.

*Com informações da assessoria de imprensa

 

Receba as notícias do JDV no seu WhatsApp!

Notícias relacionadas

x