Sem categoria

Taxa de letalidade em Jaraguá é menor que índice do Estado

O índice de letalidade por cem mil habitantes é de 1,7 para Jaraguá e Blumenau

26/06/2020

Por

Taxa de letalidade em Jaraguá é menor que índice do Estado

Tomando como base dados de terça-feira (23), o município de Jaraguá do Sul está empatado com Blumenau na 10ª posição com relação à taxa de letalidade do Covid-19 nos municípios catarinenses com mais de cem mil habitantes.

São 13 municípios no total que têm população igual ou superior a cem mil habitantes.

O índice de letalidade por cem mil habitantes é de 1,7 para Jaraguá e Blumenau.

Enquanto que Itajaí registra 13,7 mortes por cem mil, o maior índice do Estado.

Em segundo lugar vem Balneário Camboriú, com índice de 5,6 mortes, seguido de Criciúma (5,1), Joinville (4,9), Tubarão (4,7) e Chapecó (4,5).

Essas cidades estão com o índice acima da média estadual, que é de 3,7 mortes/cem mil habitantes.

 

Leia mais:

CPI dos Respiradores pede afastamento do controlador-geral do Estado

Santa Catarina conquista habilitação de 46 novos leitos de UTI

Em carta de cinco páginas, vice-governadora rompe com o governo Moisés

 

Abaixo da média catarinense estão Florianópolis (2,8), Palhoça (2,3), Blumenau (1,7), Jaraguá do Sul (1,7), Brusque (1,5), São José (1,2) e Lages (0,0). A fonte de pesquisa é o IBGE, a Secretaria de Estado da Saúde e Secretarias Municipais de Saúde.

Para o diretor de Vigilância em Saúde, Dalton Fischer, as ações tomadas pelo poder público, iniciativa privada e população desde o início da pandemia contribuíram para esse baixo índice de letalidade observado em Jaraguá.

“Disponibilizamos locais de atendimento para pessoas com sintomas de gripe. O Pama 1 se tornou a referência para atendimento de casos suspeitos de Covid. O horário do Pama se estendeu para sábados, domingos e feriados. Casos suspeitos são encaminhados para testagem no próprio Pama”, registra.

E completa: “A Central de Orientação sobre Coronavírus, 0800-643-8089, orienta e monitora casos suspeitos. Em caso de gravidade, os pacientes são encaminhados para os hospitais, onde o tratamento é de excelência”. 

Notícias relacionadas

x