Colunas

Tem mais rolo além dos R$ 33 milhões pagos nos respiradores

Agora veio a público, em meio à expectativa do julgamento final do governador afastado, Carlos Moisés

02/05/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Tem mais rolo além dos R$ 33 milhões pagos nos respiradores

Agora veio a público, em meio à expectativa do julgamento final do governador afastado, Carlos Moisés (PSL), marcado para 7 de maio, sobre a compra dos 200 respiradores pulmonares, por R$ 33 milhões pagos adiantados e nunca entregues. Também em 2020, a secretaria estadual da Saúde comprou 1.839.600 pares de luvas médicas da empresa paranaense Super Safety.

Quem vai pagar?

Por R$ 1,7 milhão (pagos), com a assinatura do ex-secretário, André Motta Ribeiro, demitido pela governadora interina, Daniela Reinher. Porém, eram luvas fora das especificações. Agora, por cotação de preços, a Secretaria está comprando da Cremer, de Blumenau. E quem será responsabilizado por mais este prejuízo? Sim, porque a conta já se sabe, é do contribuinte.

Pacto federativo

Deputado estadual Bruno Souza (NOVO) percorre o país em busca de apoio para emenda constitucional de revisão do pacto federativo. São as regras estabelecidas na Constituição de 1988, determinando a divisão de responsabilidades entre a União, os Estados e os Municípios, incluindo recursos e despesas. Mas, esse não é papel da bancada federal catarinense, com 16 deputados e mais três senadores? Afinal, os colegas da Assembleia Legislativa não apoiam?

Bancada muda e surda

Impressiona o silêncio de cemitério até agora da bancada federal catarinense (16 deputados e três senadores) sobre o corte de verbas federais para 2021, impactando sobretudo na infraestrutura rodoviária de Santa Catarina. Se serve como consolo, ao menos um grupo de deputados estaduais reagiu. Todos muito irritados e não é para menos. Dos R$ 271 milhões previstos anteriormente, serão repassados apenas R$ 131 milhões. Por exemplo, para a BR-470 seriam R$ 112 milhões. Caiu para R$ 56 milhões. Já a BR-280, de R$ 105 milhões terá R$ 44 milhões.

“Corta de Santa Catarina”

“Eu disse há um mês atrás que o governo errou ao dizer que tinha dinheiro aqui. Brasília nos trata como um Estado rico e daí o governador (Carlos Moisés) vai lá e oferece dinheiro. O que aconteceu? Corta de Santa Catarina”, disparou o deputado Ivan Naatz (PL). Oferta de dinheiro com a anuência da governadora interina Daniela Reinher (sem partido), diga-se, durante audiência com o Ministro Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, em Brasília.

Filas de UTIs zeradas

Deputado Sargento Lima (PL/Joinville) creditou a redução das filas de espera por leitos de UTIs em Santa Catarina ao medo dos gestores municipais (prefeitos) pelas ações do Ministério Público. “Joinville zerou a fila. O que não faz o balançar de uma algema? O que não faz uma boa e velha denúncia ao Ministério Público? Lá em Joinville está zerada a fila”.

PT na majoritária

Com a possibilidade de Lula da Silva ser candidato à presidência de República, o ex-deputado federal Décio Lima (PT), também prefeito de Blumenau por dois mandatos, já se assanha para nova disputa ao governo do Estado, na esteira da popularidade do compadre (sim, são compadres) absolvido pelos ministros do STF. O Partido dos Trabalhadores, presidido por Lima, já decidiu que vai para a disputa. Em 2018, ele candidatou-se governador e fez 460.889 votos. Ficou atrás de Gelson Merisio, Carlos Moisés e Mauro Mariani. O PT padece do mesmo mal que outras legendas de porte. Ninguém cresce à sombra dos donos dos partidos. O grosso dos filiados só serve mesmo como bois de piranha em tempos de eleições.

Eleitores sem título

Desembargador Fernando Carioni, que preside o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina até março de 2022, pretende desenvolver campanha (mais uma) para sensibilizar jovens entre 16 e 18 anos para que façam o título de eleitor. SC tem 320 mil jovens aptos a votar em 2022, mas apenas 17 mil estão cadastrados. Ou pouco mais de 5% do total.

Segurança nas eleições

Por determinação do Tribunal Superior Eleitoral, o cadastramento biométrico foi suspenso em todo o país por causa da pandemia da Covid 19. Em SC, cerca de 30% dos eleitores ainda não estão cadastrados. E isso só será retomado quando houver segurança. Ora, então não há risco de se usar a biometria nas eleições, como ocorreu em 2020? E como vai ocorrer em 2022?

 

 

 

Notícias relacionadas

x