Estadual

Trecho urbano da duplicação da BR-280 está entre 60 e 65% concluída, diz engenheiro fiscal

O deputado reforçou a importância de não apenas continuar, mas também de dar mais fluidez ao trabalho. Para a duplicação da BR-280 estão garantidos R$ 105 milhões

31/03/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

Trecho urbano da duplicação da BR-280 está entre 60 e 65% concluída, diz engenheiro fiscal

As obras de duplicação do trecho urbano da BR-280, a quase totalidade dentro de Guaramirim, já estão entre 60 e 65% concluídas. A informação foi transmitida pelo engenheiro civil Félix Antônio Canci, responsável pela fiscalização, da empresa Azimute, que atualizou o estágio das obras, as dificuldades, em especial no trecho entre o trevo do relógio até a ponte da divisa com Jaraguá do Sul relacionadas a indenizações, entre outros.

Canci participou da plenária virtual da Aciag na segunda-feira (29). O projeto foi elaborado em 2012 pela Azimute, contratada pela Amvali, mas somente em 2017 a obra iniciou pela construção do elevado, ficando parada por dois anos devido a questões financeiras e foi retomada com força total em novembro de 2020.

Leia mais

 

O trecho, desde a entrada da Rodovia do Arroz até o elevado em Jaraguá do Sul que dá acesso a Schroeder tem 8,9 km. A medição dos trabalhos executados, até fevereiro, aproximava-se de 65% do projeto, com 91% da terraplenagem pronto, 96% da pavimentação e em torno de 42% da drenagem, conforme os números que mostrou.

No trecho dentro de Jaraguá do Sul, com a recuperação do pavimento, revitalização das calçadas e ciclovia está praticamente pronto, informou o engenheiro responsável pela fiscalização. No trecho mais urbanizado, do trevo do relógio até a divisa com Jaraguá existe pendências relacionadas às desapropriações.

Em todo o trecho que está sendo duplicado, dos 30 avanços em imóveis de particulares, restam quatro apenas para finalizar a negociação e justamente nesse trecho, onde a faixa de domínio é dos proprietários lindeiros. A execução do projeto ficou apertada por conta dos estabelecimentos existentes, inclusive para implantação de pontos para parada de ônibus, acostamento e calçada em pequenos trechos, situação que precisa, ainda, ser resolvida, conforme Félix Canci.

Obra de conclusão do trecho foi ampliado para o final de novembro

Por conta da necessidade de realização das obras de arte corrente, como passarela, duplicação da ponte e do viaduto da Mannes, que é objeto de contrato que ainda será assinado com o consórcio Cetenco/DP Barros, a barreira conhecida como New Jersey, que separa as pistas duplicadas, ficarão interrompidas em dois pontos, um nas imediações da Fameg e outro próximo ao trevo do relógio, para possibilitar a implantação de faixas para travessias para pedestres.

Uma das passarelas para pedestres ficará nesse trecho urbanizado. Na porção leste da duplicação também existem pendências que estão sendo encaminhadas, como uma via marginal desde a Ponte Marcelo Devigilli (a ponte nova sobre o Rio Itapocu ainda não aberta) para permitir o fluxo do tráfego para o retorno a região central de Guaramirim, passando sob o elevado a ser construído para facilitar também o acesso à região do Guamiranga, com mais segurança.

Acerca deste elevado, de acordo com o engenheiro Félix Antônio Canci, existe também pendência legal para ser resolvida. Está relacionado não à desapropriação direta, mas a reintegração de posse pleiteada pela família proprietária. Sem essa definição não haverá possibilidade de iniciar a obra, justamente no ponto onde ficará uma das alças.

O engenheiro fiscalizador da obra comentou na Aciag que o elevado central segue com o cronograma e etapas predefinidas. Ele acrescentou que por conta de modificações necessárias no projeto original feito em 2012, o prazo contratual para conclusão da obra (sem as obras de arte que fazem parte de outro contrato) foi modificado de junho para novembro de 2021.

O aditivo foi somente no prazo, garantindo a sequência das obras e a busca das soluções das desapropriações e a extensão das licenças ambientais.

“Queremos entregar a obra desse contrato cem por cento pronta. Contamos com o apoio da Aciag para ajudar a resolver as pendências existentes. Essa obra é essencial para a mobilidade e desenvolvimento dessa região”, observou Canci.

Desapropriações são da competência do governo Federal

O trecho de duplicação do trecho urbano da BR-280 é concedido ao estado, para que possa executar as obras com seus recursos. No entanto, as desapropriações cabem ao Governo Federal/Dnit. O Estado já sinalizou a possibilidade de assumir esse encargo financeiro, mas para isso o Dnit deve autorizar, por decreto, contudo, ainda não se posicionou.

Outro ponto de desapropriação é na cabeceira da ponte da divisa. Uma passagem subterrânea deve ser construída com galeria dupla, para possibilitar para quem vem da Vila Amizade e Recanto Feliz (pedestres e veículos de duas rodas) possa ultrapassar com segurança para ter acesso à pista para ir na direção da região central de Guaramirim.  Não haverá mais a possibilidade do acesso direto com a pista duplicada. A barreira de cimento (New Jersey) vai separá-las.

Duplicação da BR-280 terá R$ 105 milhões este ano, garante Chiodini

A conclusão das obras de duplicação da BR-280, no Norte do estado, foi um dos assuntos tratados pelo deputado federal Carlos Chiodini, com o presidente Jair Bolsonaro. A conversa aconteceu durante uma reunião na segunda-feira (29), no Palácio do Planalto, no encontro do Fórum Parlamentar Catarinense. Também participaram o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o ministro Luiz Eduardo Ramos, da secretaria de Governo.

O deputado reforçou a importância de não apenas continuar, mas também de dar mais fluidez ao trabalho. Para a duplicação da BR-280 estão garantidos R$ 105 milhões. Como presidente da Comissão de Viação e Transportes, da Câmara dos Deputados, Chiodini fará outra agenda em breve com o ministro Tarcísio, para sugerir algumas melhorias na aplicação dos recursos no trecho.

“Estamos atuando em diversas frentes para que pelo menos seja concluída a interligação com trecho urbano, que o governo vem executando, em Guaramirim, para que nós possamos continuar com o trecho federal até a BR-101. São ideias que estão surgindo, mas eu creio que são frutíferas e farão com que este corredor de transportes de cargas, que representa o desenvolvimento e o crescimento do nosso estado, possa ser mais ágil. Isso irá diminuir o custo, dará mais segurança e mais respeito à vida das pessoas e dos trabalhadores que diariamente passam por ela”, explica o presidente da CVT.

Outras rodovias também terão aporte. A BR-470, no Vale do Itajaí, receberá R$ 110 milhões. Serão R$ 28 milhões para a BR-163, no Oeste; e R$ 20 milhões para a BR-285 no extremo Sul e que faz ligação com a Serra Gaúcha.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x