Santa Catarina

[VIDEO] – Um triste final para essa “visitante”

Uma baleia-jubarte encalhou na praia de Balneário Esplanada, em Jaguaruna, e órgãos ambientais foram mobilizados na  quarta-feira, dia 5, para socorrer o animal.

06/10/2022

Por

Editora, analista SEO e responsável pelo conteúdo que escreve. Atenta aos conteúdos mais pesquisados do país.

Uma baleia-jubarte encalhou na praia de Balneário Esplanada, em Jaguaruna, e órgãos ambientais foram mobilizados na  quarta-feira, dia 5, para socorrer o animal. De acordo Suelen Santos, presidente do projeto EducaMar, ainda não é possível saber o motivo do encalhe, no entanto, a recomendação é que a população não tocasse na baleia e também não tentasse empurrá-la de volta para o mar.

“Todas as instituições foram acionadas e cada instituição faz sua parte seguindo o protocolo de desencalhe. Algumas pessoas estavam empurrando o animal para a água, isso é muito inconsequente. Entendemos que é o anseio de ajudar, mas pode interferir no atendimento ou causar acidente porque o animal pode estar ferido e isso impossibilita o atendimento da equipe médica. Ou podem se machucar porque um movimento da baleia pode ferir alguém”, afirmou Suelen.

Conforme observação inicial, tratava-se de um macho, que tinha entre 10 e 12 metros de comprimento. A aparição da baleia-jubarte no litoral Sul catarinense não é tão comum quanto a da baleia-franca, todavia, a frequência com que aparecem aqui tem aumentado.

“A baleia é jubarte é comum, mas não com tanta frequência, é uma espécie que fica na região Nordeste do brasil, enquanto as baleias-francas no Sul, mas no ano passado atendemos vários encalhes de jubarte, inclusive já em óbito na região. Isso aconteceu pelo aumento da população que foi um aumento grande. Então vão se distribuir por mais parte do oceano. A reprodução acontece no nordeste e depois migram para o sul onde acabam acontecendo esses encalhes na região”, explicou Suelen.

Ela será enterrado na praia, conforme protocolo dos órgãos ambientais. Entre os órgãos que participam do trabalho, também estão o Instituto Australis, R3 Animal, e PMP Udesc.

Infelizmente com toda vontade do mundo não foi o suficiente para salvar esse animal hoje, devido a laudos técnicos e opiniões de especialistas a chance de sobrevivência era menor que chance do sucesso para um possível último resgate e causando ainda mais sofrimento, então decidiram optar pela eutanásia, vou pra casa muito triste mas com sensação de dever cumprido, por ter feito tudo o que estava a meu alcance, muitas coisas Respeito mas não concordo, vamos sempre em algum momento da vida passar por experiências como essas, mas nunca deixar de acreditar no amor e que Deus sabe de todas as coisas. Muito obrigado a todos voluntários e anônimos que lutaram junto nessa causa até o final, destacou João Baiuka em seu instagram

Via Engeplus
Via @joao_baiuka_farol
Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x