Especiais

Wanderlust: jaraguaense que já conheceu 44 países lança livro sobre suas aventuras e o desejo de viajar

O viajante acumula na bagagem 13 anos de estrada, muitas experiências e boas lembranças, que agora estão registradas em seu primeiro livro

25/06/2020

Por

Wanderlust: jaraguaense que já conheceu 44 países lança livro sobre suas aventuras e o desejo de viajar

Viajando o mundo, vencendo os medos. Este não é o só o título do livro recém lançado pelo jaraguaense Eduardo Mira, mas também um retrato do seu estilo de vida.

Apaixonado por viajar, aos 37 anos, o funcionário público já conheceu 44 países, mas ainda é pouco: a meta é visitar 50 nações antes dos 40 anos.

Eduardo começou a viajar em 2007 fazendo um tour pela Europa. De lá para cá, não parou mais, e atualmente acumula na bagagem 13 anos de estrada, muitas experiências e boas lembranças, que agora estão registradas em seu primeiro livro.

A publicação nasceu diante das inúmeras curiosidades dos amigos e familiares.  

“Nos almoços, jantares ou festas que eu vou sempre tem alguém me perguntando várias coisas e aí sempre surge um comentário do tipo: ‘Por que você não registra tudo isso em um livro’, e assim fui colocando as ideias no papel, literalmente.

Leia mais:

Das 111 páginas, 24 páginas são exclusivamente de registros fotográficos que fez durante os trajetos.

Além de fotos de destinos desejados pelos turistas, como Espanha, Itália e Grécia, Eduardo apresenta imagens de países não tão disputados turisticamente como: Marrocos, Jordânia, Turquia, Romênia e Eslovênia. Daí vem mais uma pergunta: Qual foi o país que ele mais gostou? Mira responde de pronto: Costa Rica.

O argumento é simples. “Eu amo a praia, gosto do mar, sou mais do verão, então lugares com praia me atraem mais e Costa Rica é um verdadeiro cartão postal”, conta.

Mas será que tem algum país que ele não tenha gostado tanto? Com certeza.

“O país que eu menos gostei foi Honduras, por causa da violência, do tráfico de drogas, das gangues em guerra, principalmente em San Pedro Sula, uma cidade onde a taxa de assassinatos é 16 vezes mais alta do que a de São Paulo, ali eu tive medo”, lembra.  

O livro começou a ser escrito em 2015, mas só neste ano é que a obra realmente ficou pronta para o público. Segundo o autor, foram várias interrupções na escrita motivadas muitas vezes pela falta de tempo, outras pelos imprevistos e até a preguiça fez com que a missão de registrar a sua história em um livro se prolongasse por cinco anos.  “O que o leitor vai encontrar é uma biografia mesclada a um pequeno guia cultural, a verdade de alguém que abre as suas experiências e espera inspirar o leitor a novos rumos”, finaliza.

Se você quiser adquirir o livro basta entrar em contato com o Mira pelas redes sociais facebook/ @eduardo.mira .52 ou pelo email: emmira82@gmai.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Notícias relacionadas

x