Especiais

Grupo Malwee lança campanha #AtitudesdoBem

Foto: Divulgação

Flávio José Brugnago

Flávio José Brugnago é Editor chefe do JDV e na bagagem carrega mais de 40 anos de profissão. 

Com o tema “Bonito não é o que a gente veste, bonito é o que a gente faz”, marca aposta em filme emocional para engajar consumidor na maior campanha de doação da sua história. Despertar gentilezas por meio de pequenas atitudes para construir um mundo melhor. É com esse propósito que a Malwee apresenta a campanha #AtitudesdoBem 2019. Lançada pela primeira vez em 2018, a segunda edição da campanha pretende ajudar mais de 20 mil crianças em todo o país na maior corrente de doação da história da marca.

Para mobilizar os consumidores, o filme explora a relação de pai e filha e mostra como a criança absorve os ensinamentos positivos que recebe ao longo da vida. Em um pequeno gesto da menina, as situações se entrelaçam e, com um tom emocional, reforça a mensagem: "bonito não é o que a gente veste, bonito é o que a gente faz".

“A campanha #AtitudesdoBem busca uma grande mobilização. Queremos incentivar pequenos gestos que podem fazer a diferença na construção de um mundo melhor. São ações simples, mas que mostram como podemos mudar a vida de quem está à nossa volta”, explica Guilherme Weege, CEO do Grupo Malwee.

Campanha apoia 20 projetos sociais entre eles da Apae e AMA

A campanha #AtitudesdoBem tem dois meses de duração e apoia 20 projetos sociais em diversas regiões do Brasil. Quem escolhe o projeto beneficiado por cada doação é o próprio consumidor. Para participar, basta o consumidor comprar qualquer peça das coleções de fim de ano das marcas Malwee, Malwee Kids! ou Malwee Liberta (Alto Verão ou Celebration), cadastrar o código #AtitudesdoBem (impresso na etiqueta) no site da campanha (malwee.atitudesdobem.com), escolher a ONG que deseja ajudar e a Malwee faz uma doação para a causa escolhida.

COMO FUNCIONA - Cada cadastro contabilizará uma doação equivalente ao valor de uma camiseta básica para uma das ONGs participantes. Para conhecer cada uma e saber o que esse valor significa para elas, basta entrar no site da ação. Essa campanha e toda a curadoria das instituições foram criadas em parceria com o Movimento Arredondar.

BENEFICIADAS - De Jaraguá do Sul, onde fica a sede da empresa, a Apae e a AMA (Associação Amigos do Autista) são as entidades escolhidas. A AMA atende 108 pessoas com autismo, proporcionando lazer, integração social, profissional e apoio aos familiares. A Apae proporciona atendimento a 520 pessoas com atraso no desenvolvimento, deficiência intelectual e transtornos do espectro autista. Atua na área de assistência social, educação e saúde.

Notas

PLANO DIRETOR - A Prefeitura de Guaramirim, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano realizou ontem (6), a penúltima audiência pública de apresentação do Plano Diretor. O próximo (e último) acontece no dia 13 de novembro, na Câmara de Vereadores. Com ela, fecha as cinco audiências previamente programadas, onde os participantes se envolvem e discutem sobre este instrumento norteador da política de desenvolvimento municipal.

Vereador quer áreas de alagamentos mapeadas - O vereador Celestino Klinkoski mostrou preocupação com os alagamentos causados pelas chuvas do último final de semana em Jaraguá do Sul. Segundo ele, o volume de precipitação chegou a 55 mm no domingo à tarde e vários pontos da cidade sofreram com a água. Ele citou como exemplo um local no bairro Rio da Luz onde os moradores ficaram isolados por conta da enchente. O parlamentar lembra que já pediu à Prefeitura que restaure a tubulação da localidade e que troque por tubos novos, porém não foi atendido.

Klinkoski sugeriu que o município faça um trabalho de identificação dos locais de maior risco de alagamento. A partir desse mapeamento, a Secretaria de Obras poderá realizar a limpeza das tubulações e as obras de drenagem para evitar novos transtornos. O vereador também pede que a população ligue na Ouvidoria da Prefeitura (0800 642 0156) para que se possa fazer o mapeamento. Ele alerta que essa foi a primeira grande chuva que ocorreu neste semestre e que há muitas outras por vir com o verão que está por vir.

Estado vai duplicar trecho da SC-108 na região de Joinville - A ordem de serviço para início da obra de restauração e duplicação da SC-108, em Joinville foi assinada na terça-feira (5) pelo secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler. A iniciativa faz parte do programa Novos Rumos, um pacote de intervenções estratégicas do Governo do Estado para melhorar a infraestrutura catarinense.

O trecho, de pouco mais de 5 quilômetros, liga a BR-102 ao Distrito Industrial de Joinville onde estão localizadas mais de 200 empresas. O processo licitatório começou em 2017, mas só foi finalizado em 2018, aguardando desde então a ordem de serviço.

Atualmente sem qualquer manutenção, é por este trecho da rodovia que escoa boa parte da produção industrial do município. As obras se estenderão do entroncamento da BR-101 até a Rua Tenente Antônio João, passando pelas Ruas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister, e o acesso à Rua Dona Francisca.

 

Tubulação maior para escoamento - O vereador Arlindo Rincos (PSD) criticou a Administração Municipal em continuar implantando tubos de 40 centímetros em vias estruturais do município. Ele mostrou imagens que moradores fizeram no último final de semana mostrando alagamentos em vários pontos de Jaraguá do Sul. Segundo ele, as ruas foram alagadas com menos de meia hora de chuva intensa. Rincos lembrou que ele foi autor de um projeto de lei que proibia o município de implantar tubos com menos de 80cm nas vias estruturais da cidade, porém o projeto não foi aprovado porque esta é uma matéria em que apenas o Executivo pode deliberar. Ele pediu que a Prefeitura envie um projeto nos mesmos moldes para a Câmara, lembrando que o custo não sofre grandes variações pela bitola dos tubos.

Juraszek informa compra de saibreira - O vereador Eugênio Juraszek anunciou que o projeto de lei que vai permitir à Prefeitura comprar uma saibreira no Garibaldi na Câmara, o que vai possibilitar a retirada do material para a macadamização das ruas, principalmente nas áreas rurais. A ideia, segundo disse, é que o projeto seja votado ainda na sessão de quinta-feira (7). Juraszek observou que a luta para a aquisição é de oito anos, pelo menos. Outra observação refere-se à análise prévia do solo nas ruas que recebem pavimentação, o que dá segurança de que a deterioração não ocorra como até então.

 

Agenda

Ver todos