Colunas

A vida depois dos 40

Há um século, a expectativa de vida no Brasil era de 40 anos para os homens e 45 para as mulheres

31/08/2021

Por

A vida depois dos 40

Há um século, a expectativa de vida no Brasil era de 40 anos para os homens e 45 para as mulheres.

Hoje, aqui em Santa Catarina, temos a maior expectativa de vida do país: em média vivemos 79,9 anos: 76,7 anos para os homens e 83,2 anos para as mulheres. No Brasil, a média é 3,3 anos menor: 76,6 anos.

A nossa expectativa de vida dobrou em apenas um século. Na realidade, a nossa vida foi prolongada artificialmente, graças à evolução da medicina, às políticas públicas de saneamento (esgoto e água tratada), aumento da renda e acesso à informação e educação.

Atualmente, quem apaga 40 velinhas no bolo e entra na fase dos “enta” — a partir dos quarenta — ainda é considerado um adulto jovem; mas mesmo com vitalidade para dar e vender, a partir dessa idade é preciso dar mais atenção à saúde e incluir na rotina exames que antes não eram necessários, já que o processo natural de envelhecimento traz um risco maior de certas doenças.

Durante milhares de anos os humanos morriam muito jovens. Isso criou um processo de adaptação que gerou o surgimento de problemas degenerativos a partir do nosso apogeu físico, por volta dos 28 anos de idade, logo, é natural que a partir dos quarenta anos de idade comecem a aparecer as doenças degenerativas.

Fazer exames de saúde de rotina após os 40 anos é a receita certa para manter a saúde em dia e evitar as doenças mais comuns da idade como hipertensão, câncer de próstata nos homens e de mama nas mulheres, diabetes, etc. Quando elas surgem é melhor diagnosticá-las precocemente para os tratamentos serem feitos com sucesso.

Além de exames e consultas, depois dos quarenta é bom manter as vacinas em dia: contra Covid, gripe, hepatites A e B; contra difteria, tétano e coqueluche; contra o HPV e a antipneumocócica.

As vacinas, além de ajudar a prevenir doenças, também aumentam a resistência do organismo e melhoram a imunidade. Mesmo quem foi vacinado na infância deve tomar as doses de reforço.

Viva com muita saúde a vida depois dos quarenta.

Notícias relacionadas

x