Colunas

Alguns cobram muito da imprensa local.

O péssimo costume de críticas a órgãos de imprensa na Câmara de Jaraguá do Sul sem que se dê “nomes aos bois” continua

10/06/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Quem foi?

Sai vereador, entra vereador e o péssimo costume de críticas a órgãos de imprensa na Câmara de Jaraguá do Sul sem que se dê “nomes aos bois” continua. E se repetiu nesta semana.

Ora, qual é o problema para um vereador citar o nome de um jornal, emissora de rádio ou TV, por exemplo, por não concordar com alguma publicação quando há razão está com ele?

Isso chama-se falta de ética que, aliás, alguns cobram muito da imprensa local.

Tucanos se organizam

A executiva estadual do PSDB começa a planejar o embate nas urnas em 2022. O ex-deputado Gelson Merisio, pré-candidato a governador é o emissário para conversas com outros partidos em possível coligação na chapa majoritária que deve encabeçar.

A ideia é dividir candidaturas a deputado estadual (a cada 200 mil eleitores) e federal (a cada 400 mil eleitores), evitando que se “atropelem” a si mesmos na busca de votos. Comparando, um arremedo de voto distrital.

Urnas auditadas

Representantes do Brasil, Cuba, El Salvador, EUA e Venezuela vão acompanhar a eleição para prefeito e vice de Petrolândia, no Alto Vale do Itajaí, dia 13 de junho. Urnas (duas) serão auditadas pela primeira vez no país em eleição suplementar.

Rogério Domingos (PP) e Selmo Klauberg (PSD) foram cassados pelo TRE: não apresentaram folha corrida no prazo legal. A ideia é comprovar a lisura do processo a quem duvida da urna e defende o voto impresso.

Alô, alô São Tomé

Governador Carlos Moisés (PSL) promete três grandes obras de interesse direto da região do Vale do Itapocu: o prolongamento da via expressa, que começa na rodoviária de Blumenau até Vila Itoupava, evitando o atual percurso pela congestionada Itoupava Central e trecho da BR-470; a duplicação da SC-108, entre Guaramirim e Massaranduba e a SC-414, ligando Luiz Alves, Massaranduba e Vila Itoupava.

Promessa de outros governos também, diga-se.  Moisés garante que o Estado terá R$ 4 bilhões, nos próximos anos, para obras do gênero.

Moisés na CPI

Dia 6 de julho será a vez de Carlos Moisés (PSL) depor no circo da CPI da Covid do Senado. Por conta da compra dos 200 respiradores pulmonares da China, por R$ 33 milhões antecipados e nunca entregues.

Moisés já foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça, Polícia Federal, Ministério Público Federal, MP de Santa Catarina, Tribunal de Contas do Estado e Tribunal Especial de Julgamento da Assembleia Legislativa. Mas, o dinheiro ainda não foi recuperado. Apelo de Moisés ao Supremo Tribunal Federal para não ser ouvido segue sem resposta.

Depois do rumoroso caso da compra de um trator, que gerou a prisão do atual prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), quando vice-prefeito de Pinhalzinho, o pequeno município do Oeste catarinense ganha, de novo, manchetes na imprensa. Agora por conta de projeto de lei do vereador Dejair Teixeira (PSDB) propondo a legalização das rinhas para brigas de galos.

Atividade proibida no Brasil desde 18 de maio 1961 pelo Decreto nº 50.620, assinado pelo então presidente da República, Jânio da Silva Quadros. Vale dizer que não se trata de macabra atividade de lazer, apenas.

Nestas rinhas, frequentemente, apostadores são literalmente “depenados”. Teixeira, que responde processo por compra de votos, diz que já tem apoio de uma deputada federal.

PDT e quem mais?

O PDT pode lançar o ex-deputado e ex-prefeito de Lages, Fernando Coruja, como candidato a governador em 2022. Mas, a se confirmar, quem terá como aliado na chapa majoritária senão partidos de esquerda ainda mais inexpressivos nas urnas catarinenses?

Poderia até ser o desacreditado PT, porém, em SC o partido é presidido por Décio Lima, compadre de Lula de Silva. Que, por sua vez, tem sido alvo de pesadas e frequentes críticas do possível presidenciável Ciro Gomes, estrela (e única) maior do PDT no país.

Notícias relacionadas

x