Cultura

Arquiteta e urbanista de Jaraguá lança campanha para publicar livro infantil

Cristiana de Souza palestra para crianças e adolescentes há oito anos sobre inclusão

17/03/2022

Por

Já dizia Ayrton Senna “se a gente quiser modificar alguma coisa, é pelas crianças que devemos começar”. Quem segue essa frase é a arquiteta e urbanista da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Cristiana de Souza, de 33 anos.

Palestrando para crianças e adolescentes há oito anos sobre inclusão devido a síndrome de brida amniótica, uma condição genética que, no caso da arquiteta, provocou deformidades nos dedos das mãos e a ausência de parte da perna direita.

“Sempre quis escrever um livro e meus amigos me cobravam muito, pois devido a prótese tenho várias histórias engraçadas que aconteceram comigo por causa disso”, relata ela com brilho no olhar e sem vergonha alguma da condição genética.

De acordo com Cristiana, na época até reuniu algumas histórias mais de comédia para escrever um livro, mas não deu continuidade até que surgiu “As aventuras de Pitita, a perninha sapeca”.

“Mesmo palestrando para crianças, nunca pensei em escrever um livro especificamente para este público. Fiz algumas oficinas e percebi que a primeira infância, entre os dois e seis anos, se conectam mais com a história”. Dessa forma, a arquiteta trabalha de forma lúdica através de textos e ilustrações, para falar sobre sua vida com os pequenos.

Nesse primeiro livro, por exemplo – a ideia da Cristiana é fazer seis livros e quem sabe lançar um por ano -, ela fala desde o seu nascimento, quando seus pais tiveram contato com a síndrome até a busca da mãe pela prótese. E a história é contada pela Pitta, a perna de Cristiana.

Segundo ela, seu desafio como arquiteta é fazer os adultos pensarem com acessibilidade e como escritora é fazer as crianças verem que tudo bem ter um amigo sem uma perna, sem um braço ou com uma síndrome como é o caso dela.

Entretanto, para concretizar o sonho do livro, Cristiana lançou no dia 6 de março um financiamento coletivo que segue até o dia 5 de maio. “Nesse primeiro momento não viso lucro. Só quero concretizar o livro físico”, comenta.

Para cobrir os custos de criação, edição, finalização, impressão, divulgação e os brindes, são necessários R$ 40.057,47. “As pessoas que ajudarem não vão ajudar por ajudar. Elas vão receber o livro e as recompensas.”

Após atingido o valor da campanha, Cristiana diz que a meta estendida é transformar o livro em audiobook e em braille, tornando-o ainda mais acessível. Para ajudar e saber mais detalhes do financiamento coletivo, as pessoas podem acessar o Instagram da Cristiana – @crissouza.arq – ou entrar em contato pelo e-mail cristiana.arquitetura@gmail.com.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x