Geral

Centro Científico e Ambiental – Fundo defere pedido de recursos

O deferimento do pedido, resultado de um minucioso e bem fundamentado projeto e documentos, é o reconhecimento dos esforços do Município, iniciado há dois anos, pelo menos. “É uma vitória”, comemora Tânia Dantas

24/01/2020

Por

Centro Científico e Ambiental – Fundo defere pedido de recursos

Schroeder – O Fundo de Reconstituição de Bens Lesados do Ministério Público de Santa Catarina, confirmou o deferimento do pedido do município, de liberação de recursos para implantar o projeto do Centro de Educação Científica e Ambiental em Schroeder – Cecas. A ideia é utilizar o patrimônio da Escola Leonete Bauer Walz, no Bracinho, atualmente desativada, para implantar um planetário com observatório noturno e o jardim sensorial com a abertura de uma trilha, nos fundos do terreno, destinado para estudos do bioma da mata atlântica.

A estrutura será ofertada ao público regional, para realização de programas pedagógicos das instituições educacionais do Vale do Itapocu que perpassam as questões educacionais regulares. Na proposta está implícita que o projeto quer contribuir efetivamente com a educação ambiental, astrofísica e robótica nas atividades de ensino, incluindo noções de cidadania, sustentabilidade e responsabilidade socioambiental, por meio da observação e experimentação. O valor solicitado é de R$ 458.084,73.

No dia 11 de dezembro, o Conselho Gestor do Fundo, em sua 78ª sessão ordinária, deferiu o pedido do Município de liberação de recursos para a implantação do Centro de Educação Científica e Ambiental em Schroeder, que terá caráter regional para atender tanto estudantes quanto professores e pesquisadores, abrangendo uma população superior a 300 mil habitantes. Os recursos destinam-se a compra de um domos planetário e equipamentos complementares como telescópio, projetor e softwares, com a estrutura abrigada nas instalações da escola rural, entre outros investimentos.

Conselho Gestor do Fundo solicita documentos para liberação

O deferimento do pedido, resultado de um minucioso e bem fundamentado projeto e documentos, é o reconhecimento dos esforços do Município, iniciado há dois anos, pelo menos. “É uma vitória”, comemora Tânia Dantas, que liderou a tramitação, com aval e incentivo do prefeito Osvaldo Jurck. “Iniciamos o ano com uma notícia excelente, agora é juntar a documentação solicitada pelo Conselho Gestor do Fundo e aguardar a liberação e as próximas etapas”, diz.

O Conselho Gestor solicitou a alteração do cronograma físico e financeiro de desembolso para os repasses, além de comprovante de situação cadastral na Receita Federal, certidões negativas de débitos perante os órgãos estaduais e federais, comprovante de abertura de conta corrente no Banco do Brasil, entre outros documentos exigidos. A informação sobre o deferimento do pedido se deu pelo presidente do Fundo de Reconstituição de Bens Lesados do MPSC, Fábio de Souza Trajano.

Notícias relacionadas

x