Colunas

Coluna: Quem quer dinheiro?

Com os cofres abarrotados, o governador Carlos Moisés (sem partido) tem dedicado boa parte de sua agenda de trabalho para levar, pessoalmente, recursos públicos para municípios de várias regiões do Estado

20/10/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Quem quer dinheiro?

Com os cofres abarrotados, o governador Carlos Moisés (sem partido) tem dedicado boa parte de sua agenda de trabalho para levar, pessoalmente, recursos públicos para municípios de várias regiões do Estado. Exceto, por enquanto, a região Nordeste, onde o Vale do Itapocu está inserido. É certo que temos aqui a duplicação e revitalização do trecho urbano da BR-280 em obra bancada com recursos do Estado (na verdade, pelos contribuintes de impostos) e prometida há anos, porém, não é só disso que precisamos.

Atendimento mapeado

Direcionado por parlamentares da sua base de apoio, Moisés mata dois coelhos com uma só cajadada: atende deputados que precisam dos prefeitos para também se reelegerem em 2022 e, ao mesmo tempo, pavimenta sua campanha à reeleição.  Seu maior rival deve ser o senador Jorginho Mello (PL), com provável apoio do presidente Jair Bolsonaro. Por isso, Moisés não perde tempo. Enquanto isso, no MDB, desavenças, empáfia, arrogância e egocentrismo prevalecem na disputa interna pela indicação do candidato à cadeira de governador.

Bolsonaro no PP muda tudo

Porém, uma possível filiação de Bolsonaro ao PP, como se especula nos bastidores e onde já esteve entre 2005 e 2016, seria como jogar água no chope de Mello. Isso obrigaria o PP a ter um candidato a governador- possivelmente o senador Esperidião Amin, com apoio de Bolsonaro, é claro. O senador, que fará 74 anos em 21 de dezembro e de boas relações com o presidente, já governou SC por duas vezes, eleito que foi em 1982 e 1998.  Mas que, depois disso, perdeu duas disputas sucessivas, em 2002 e 2006, para Luiz Henrique da Silveira (MDB).

Prévias no PSDB

Até dia 14 de novembro, filiados ao PSDB de Santa Catarina poderão se inscrever para votar nas prévias que o partido fará dia 11 de novembro: em Eduardo Leite (governador do Rio Grande do Sul) ou João Dória Jr. (governador de São Paulo), que são os dois pré-candidatos à presidência da República em 2022. Aqui no Estado, a maioria das lideranças apoia Leite. Mas, o escolhido pelo voto será respaldado pelo diretório estadual tucano. Ao menos é o que consta.

Ameaça de greve

“Não sabemos se irá acontecer ou não. A ameaça existe. A categoria quer uma agenda com o presidente Bolsonaro, além do ministro da Infraestrutura, para discutir demandas que não foram atendidas”. O alerta é do presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina, Ari Rabaiolli. O governo tem 15 dias de prazo a contar de segunda-feira (16). Se nada mudar, a greve começa dia 1º de novembro.

Audiência com Mourão

Lideranças do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro de Santa Catarina foram recebidas em Brasília pelo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, que é a expressão maior do partido no país. E que virá ao Estado no dia 17 de novembro, mais precisamente a Criciúma, onde fará palestra para empresários em comemoração aos 75 anos de fundação da Associação Empresarial local, comemorados há dois anos, em 2019.

Visita suspensa

À época, a visita de Mourão ao Sul do Estado foi adiada por conta da pandemia e, no ano passado, também. Antes, no dia 9 de novembro, Mourão vai a Blumenau atendendo convite da Associação Empresarial de lá, para palestrar sobre “Os desafios econômicos e políticos do país”. Em Brasília estiveram o presidente do PRTB de SC, Gustavo Machado, o vice, Joel Schmidt, e Giovani Eccer, secretário geral.

Notícias relacionadas

x