Bem Estar

Entenda quais os tipos de depressão

O ponto da depressão é que pode ser provocada por uma disfunção bioquímica do cérebro, mas é importante levar em consideração que cada pessoa reage de um modo aos gatilhos para as crises

02/05/2023

Por

Editora, analista SEO e responsável pelo conteúdo que escreve. Atenta aos conteúdos mais pesquisados do país.

Para realmente entender o transtorno é preciso conhecer os tipos de depressão, afinal, se trata de uma doença que pode se apresentar de formas diferentes. Cada caso tem um nível de sintomas, gravidade e intensidade. Por isso, o tratamento pode variar conforme o diagnóstico do paciente.

Caso você perceba determinados sinais em si mesmo ou em pessoas próximas, é importante ter conhecimento sobre os principais tipos de depressão. Confira:

Distimia (Transtorno Depressivo Persistente)

A distimia é uma depressão crônica, caracterizada pela irritabilidade, mau humor e pensamentos negativos.

Apresenta sintomas semelhantes à depressão maior, porém, ela não se instala de repente. Isso significa que o mau humor é constante e a pessoa costuma estar sempre irritada, reclamando e enxergando o lado negativo de tudo. É comum, portanto, que estes sinais sejam considerados características da sua personalidade e temperamento.

Vale pontuar que as pessoas com distimia podem apresentar alguns episódios de depressão mais graves. O diagnóstico leva em consideração a manifestação dos sintomas todos os dias por pelo menos dois anos consecutivos.

Depressão pós-parto (ou Perinatal)

Tipos de depressão: como o transtorno se manifesta?

É comum que boa parte das mulheres sintam a tristeza pós-parto. Normalmente, não sabem explicar as causas da melancolia, mas se ela desaparecer em poucos dias, não há razões para se preocupar.

É importante ressaltar que a tristeza pós-parto é praticamente fisiológica e de 50% a 80% das mulheres apresentam um quadro de certa tristeza e irritabilidade a partir do terceiro dias após o parto. Costuma durar por volta de uma a duas semanas no máximo e desaparece espontaneamente.

O problema é a depressão pós-parto, caracterizada pela tristeza que surge algumas semanas depois da chegada do bebê e vai se tornando cada vez mais intensa. Como consequência, a mulher passa a ter dificuldades para executar até mesmo as tarefas mais simples da rotina e perde o interesse pela vida.

Vários motivos podem levar ao transtorno, sendo um dos mais comuns a dificuldade para se aceitar sob a nova condição de mãe.

Depressão psicótica

Entre os tipos de depressão, a psicótica é uma das formas graves da doença. Trata-se de um subtipo da depressão maior e pode surgir nos casos de transtornos bipolares também.

Além dos sintomas depressivos, é caracterizada por sintomas psicóticos, como alucinações e delírios. Assim, a pessoa pode ouvir vozes e acreditar que está sendo ameaçada e perseguida.

Transtorno afetivo sazonal (TAS)

Quem mora em lugares em que o inverno dura muito tempo pode sofrer com o transtorno afetivo sazonal (depressão sazonal). Sintomas como tristeza, sono em excesso, dificuldade de concentração e aumento do apetite, costumam melhorar conforme a estação muda e a quantidade de luz solar aumenta.

Trata-se de um transtorno derivado da depressão, porém, é mais leve. Também é importante pontuar que algumas pessoas desenvolvem os sintomas em períodos com excesso de luz natural, como o verão.

Quando os sintomas forem muito desconfortáveis, é necessário consultar um psiquiatra para iniciar o tratamento, que pode variar entre: fototerapia, medicamentos, psicoterapia etc.

Transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM)

Você provavelmente já ouviu falar na TPM que atinge boa parte das mulheres alguns dias antes de menstruar. Entre os principais sintomas, estão:

  • mudanças de humor;
  • sentimentos repentinos de raiva;
  • tristeza;
  • cansaço excessivo;
  • ansiedade.

TDPM, por sua vez, é uma condição com sintomas semelhantes, porém, mais severos, capazes de levar à incapacitação temporária. Além disso, também pode afetar os relacionamentos e o trabalho.

Entre os sinais, destacam-se o humor deprimido, mau-humor extremo e alta irritabilidade, ansiedade em níveis graves e instabilidade emocional.

Por volta de 2% a 10% das mulheres são diagnosticadas com o transtorno disfórico pré-menstrual, que em alguns casos pode desencadear crises de ansiedade ou depressão.

As causas para o surgimento do transtorno não são conhecidas, mas estudos indicam que pessoas com disposição para variações hormonais têm maior tendência e as alterações hormonais da menstruação impactam bastante a mulher.

Transtorno disruptivo da desregulação do humor

O transtorno disruptivo da desregulação do humor é caracterizado por uma irritação crônica grave. A pessoa tem explosões de raiva frequentes, que são caracterizadas por violência verbal ou física.

O ponto aqui é que as explosões costumam ter uma intensidade desproporcional, são marcadas pela impulsividade e duram muito tempo.

No entanto, é importante se atentar que o transtorno acontece quando essas explosões ocorrem várias vezes ao longo da semana e o humor da pessoa é marcado pela irritabilidade durante o dia.

 

 

Conteúdo publicado por Virtude

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp

Notícias relacionadas

x