Geral

Estudante do IFSC é finalista do Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva

Para concluir o curso técnico em 2019, a estudante optou por realizar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) abordando as dificuldades de encontrar vestidos de noiva e de madrinha de casamento por quem tem nanismo ou deficiências semelhantes, corpo que não são facilmente ajustáveis.

22/09/2020

Por

Estudante do IFSC é finalista do Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva

A aluna Tainara Ribeiro, da 2ª fase da graduação em Design de Moda do IFSC de Jaraguá do Sul, é uma das 20 finalistas da 8ª edição do Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva. A premiação reúne trabalhos de estudantes de artes e moda que se preocupam com a produção de roupas adaptadas para pessoas com deficiência. Com um projeto focado na confecção de roupas de casamento para pessoas com nanismo, a estudante do IFSC é a única representante de uma instituição pública catarinense na final.

Apesar de ter 1,78 metro de altura, Tainara decidiu se dedicar ao estudo do corpo e do vestuário para pessoas com nanismo ou deficiências similares. A aproximação com o tema, porém, começou em 2018, quando entrou no curso técnico em Produção e Design de Moda, também do IFSC de Jaraguá do Sul. “Desde o primeiro dia os professores nos chamaram a atenção para a moda inclusiva, nos disseram para ‘abrir a mente’ e sair da mesmice. E é fascinante quando você começa a focar nesse tema”, diz.

Para concluir o curso técnico em 2019, a estudante optou por realizar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) abordando as dificuldades de encontrar vestidos de noiva e de madrinha de casamento por quem tem nanismo ou deficiências semelhantes, corpo que não são facilmente ajustáveis”, explica.

Leia mais:

Vestido com estampa em tie-dye para usar como quiser

Conheça o cemitério do Futuro, que já é realidade no Brasil

Medicamento americano para covid será testado em hospital de Joinville

Um outro desafio foi a valorização da feminilidade das modelos escolhidas por Tainara. “Elas me contaram que as roupas que precisam vestir muitas vezes são infantis. Mas estamos falando de mulheres adultas e um pedido importante que me fizeram foi que as roupas refletissem essa feminilidade”, destaca.

O trabalho desenvolvido por Tainara Ribeiro já foi colocado à prova no desfile de conclusão de curso realizado em 2019, no IFSC. Porém, o trabalho precisou evoluir, com novas adaptações e melhorias. O resultado será levado aos palcos novamente na final do Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva, em 27 de novembro, em Florianópolis, quando três modelos escolhidas pela estudante apresentarão os novos looks desenvolvidos e confeccionados por ela. Serão, no total, 60 modelos representando os 20 projetos finalistas.

Vakinha para a participação no final do Prêmio na Capital

Todo o custo de produção dos vestidos e demais arranjos foram custeados, até o momento, exclusivamente pela estudante. Porém, para levar o projeto à final do prêmio de Moda Inclusiva, Tainara estima que ainda terá um gasto aproximado de mais R$ 2.000. “Como é um projeto muito delicado, pois os tecidos e aviamentos para noivas e madrinhas possuem um valor agregado maior, vou ter um novo gasto significativo. Fora o custo de ir até Florianópolis com minhas modelos”, aponta.

Para ajudar a arrecadar tal valor, Tainara criou uma vakinha online. Para acessar e fazer uma doação, acesse o link https://vaka.me/1397284. Caso o valor arrecadado supere o valor gasto com o projeto e com o deslocamento, o dinheiro que sobrar será doado para a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Jaraguá do Sul.

 

Notícias relacionadas

x