Santa Catarina

PE 2023: Entrevista –  Luiz Vicente Suzin

“O cooperativismo é uma das locomotivas da economia catarinense”

27/10/2023

Por

Editora, analista SEO e responsável pelo conteúdo que escreve. Atenta aos conteúdos mais pesquisados do país.

Luiz Vicente Suzin, presidente da Organização de Cooperativas do Estado de SC

 

As cooperativas de Trabalho, Produção de Bens e Serviços desempenham um importante papel social e econômico no Estado, representando uma grande fatia na geração de emprego e renda. Elas atuam envolvendo e conectando pessoas com objetivos comuns: a prestação de serviços, trabalho e produtos com qualidade, melhorando as condições de vida pessoal, familiar e da sociedade envolvida, transformando trabalhadores em empreendedores.

Em Santa Catarina, o setor teve um crescimento de 22% em 2022, dado que reflete o protagonismo deste segmento no cenário econômico. Além disto, mais de 3,9 milhões de catarinenses são associados à alguma cooperativa: de crédito, infraestrutura, saúde, consumo, transporte, agropecuária e produção de bens e serviços.

Em 2023, a Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc) completou 52 anos. Durante este tempo, fortaleceu os princípios cooperativistas no Estado e abriu caminhos para que este se desenvolvesse de forma mais sustentável.

Mesmo fiel à base do cooperativismo, que é a essência humana, a Ocesc mostrou grande capacidade de adaptação em sua trajetória, mantendo-se em sintonia com a sociedade e caminhando junto com as novas tecnologias e o mercado.

Atualmente, ela conta com 252 cooperativas registradas, distribuídas nos sete ramos de atuação. As instituições reúnem cerca de 3,9 milhões de cooperados e promovem 88.466 empregos diretos, com receitas que superam os R$ 82,8 bilhões.

Recentemente, o atual presidente da Organização, Luiz Vicente Suzin, foi homenageado na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), pelo trabalho desenvolvido no Estado. Desde 2021, a organização está à frente também do Prêmio ACI OCESC de Jornalismo, que reconhece trabalhos do jornalismo catarinense.

A Coluna PE conversou com o presidente da Ocesc para saber sobre as ações a atuação e os projetos da organização.

Confira:

 

Pelo Estado – O que representa o cooperativismo para a economia de Santa Catarina?

Luiz Vicente – É uma força social e econômica muito forte. Podemos dizer que é uma das locomotivas da economia catarinense. Atualmente, 3,9 milhões de catarinenses são associados de cooperativas. O setor cresce a passos largos e no ano passado movimentou R$ 82,8 bilhões em receitas totais, com notável crescimento de 21,7%.

PE entrevistou o presidente

PE – Quais os ramos de atuação da Ocesc e do cooperativismo na vida do catarinense?

LV – As cooperativas estão presentes em praticamente todos os setores da vida dos catarinenses. Vou dar alguns exemplos. As cooperativas de crédito têm atualmente 3 milhões de cooperados, as de infraestrutura que atuam em distribuição de energia elétrica têm 418 mil, as de consumo tem 343 mil e as cooperativas agropecuárias 81.629. As cooperativas de saúde têm 13.710 associados e, as de transporte, 4.096 cooperados.

 

PE – O Agronegócio move Santa Catarina. Qual o papel do cooperativismo neste setor, particularmente?

LV – De fato, o agronegócio responde por cerca de 30% do PIB catarinense e por 70% das exportações. A maior parcela do agro é representada pelas 49 cooperativas agropecuárias que reúnem 81.629 associados e mantêm 57.376 empregados. Essas cooperativas faturaram R$ 56,5 bilhões no último ano. É o segmento mais intensivista em mão de obra; representa 65% dos empregados de cooperativas e 68% das receitas totais do sistema.

 

PE – Quais os maiores desafios para o desenvolvimento do cooperativismo no Estado?

LV – As cooperativas enfrentam os mesmos desafios que as empresas mercantis e, portanto, padecem com a pesada carga tributária, com a excessiva burocracia e com as deficiências da infraestrutura que oneram as operações logísticas.

 

PE – Quais as principais ações desenvolvidas e quais estão em desenvolvimento neste seu mandato 2020/2024?

LV – Desenvolvemos ações de defesa técnica, política e institucional do cooperativismo e mantemos dezenas de programas de assessoramento, formação, treinamento, qualificação e requalificação de dirigentes, colaboradores e cooperados.

 

PE – Estamos chegando nos últimos dias para inscrição na 3° edição do Prêmio ACI Ocesc de Jornalismo, que reconhece os melhores trabalhos do jornalismo catarinense. O que significa mais uma edição deste prêmio para a entidade?

LV – A imprensa e o cooperativismo são instituições essenciais ao fortalecimento da democracia e à dinamização da economia e ambas têm, na educação e na formação, um de seus compromissos.  O Prêmio ACI Ocesc de Jornalismo, portanto, além de valorizar e premiar a atividade dos profissionais de imprensa, reafirma a vocação da sociedade catarinense para o trabalho e a cooperação, a liberdade e a educação.

 

 

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? Participe do nosso grupo de WhatsApp ou Telegram!

Siga nosso canal no youtube também @JDVDigital

 

 

 

Notícias relacionadas

x