Corupá

Secretário da Agricultura de Santa Catarina conhece as principais demandas do setor primário da região

Na região, a incidência do borrachudo e do maruim foi a mais demandada, para a qual foi solicitado apoio ao estado

13/04/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

Secretário da Agricultura de Santa Catarina conhece as principais demandas do setor primário da região

O secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Altair Silva, cumpriu agenda ontem (12) na região, iniciando por Luiz Alves, depois na Cooperativa Juriti (com Massaranduba e São João do Itaperiú), no Pesque Pague Will (com Guaramirim), na recreativa Duas Rodas (com Jaraguá do Sul e Schroeder), finalizando em Corupá, na Aciac. A agenda foi uma iniciativa do deputado Vicente Caropreso, que esteve acompanhado pelo deputado estadual Sílvio Dreveck (São Bento do Sul).

Leia mais

 

Em todas as cidades, o secretário ouviu as principais demandas e foi elogiado pela iniciativa de ouvir a base da cadeia da agricultura. Ele tem formação na área. É técnico agrícola, formado no Colégio Agrícola de Araquari, mas sua base é Chapecó, no Oeste do Estado. Prefeitos, vereadores, lideranças empresariais e do meio rural acompanharam as explanações do secretário de Agricultura e puderam se manifestar sobre suas preocupações e necessidades.

Na região, a incidência do borrachudo e do maruim foi a mais demandada, para a qual foi solicitado apoio ao Estado, seja na orientação para o melhor manejo dos larvicidas – no caso do borrachudo – seja para a aquisição de insumos. O secretário Altair disse que em breve sairá um manual técnico para o uso do melhor produto e, também, sobre a sua aplicação correta, de modo que haja uma redução da quantidade.

Ele comentou sobre as ações da secretaria de Estado da Agricultura e a reunião em seis macro programas. Entre outras comentou sobre programas subsidiados, inovação no campo, telefonia com fibra ótica para o meio rural, ampliação da quantidade de calcário subsidiado, sementes de milho para reduzir a dependência do insumo de outros Estados para produzir ração animal, entre outros.

As entidades representativas da agricultura familiar também fizeram colocações. Uma delas, para que seja corrigido o preço de pauta da banana, que está em R$ 3,78 a caixa com 21 quilos, ou R$ 0,18 o quilo. Questões ligadas às cooperativas de produção também foram levantadas.

A volta de abate de animais para consumo doméstico e mesma a venda de animais vivos para terceiros, destinado a carne e derivados, foi solicitado a interferência do secretário da Agricultura. O resumo do giro pela região foi muito produtivo pela oportunidade do contato direto com o dirigente da pasta, que pode sentir as demandas do setor produtivo.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

 

Notícias relacionadas

x