Colunas

Coluna: Concessão de rodovias

É o que diz decreto de qualificação de estudos sobre futuros investimentos publicado no Diário Oficial da União com a assinatura do presidente Jair Bolsonaro

02/12/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Concessão de rodovias

Divulgação

No curto prazo o governo federal pretende consolidar a concessão à inciativa privada de rodovias federais (sete) e estaduais (25) que com elas se interligam em Santa Catarina.

É o que diz decreto de qualificação de estudos sobre futuros investimentos publicado no Diário Oficial da União com a assinatura do presidente Jair Bolsonaro, que na terça-feira (30), filiou-se ao PL. A proposta é estudada desde 2015, em modelo dos governos do PT: concessões com pedágios.

No Vale do Itapocu

Entre as federais estão a 280 e a 470, esta última beneficiada por corporativismo escancarado de deputados usuários da rodovia em detrimento de recursos para a BR-280 que corta o Vale do Itapocu.

Ente as estaduais, as SCs-108 (Guaramirim/Massaranduba), 110 (Jaraguá do Sul/Pomerode) e a Rodovia do Arroz, entre Guaramirim e Joinville. O leilão será em 2023, mesmo ano das concessões com pedágios. Até porque almoço de graça não existe, alguém sempre paga.

Preparem o bolso

O custo de vida pode crescer em Santa Catarina. Explicando: o Supremo Tribunal Federal está decidindo se os estados devem ou não reduzir as alíquotas do ICMS sobre energia elétrica e telecomunicações, dos atuais 25% para 17%.

No caso catarinense, R$ 1,2 bilhão/ano a menos na arrecadação. E a ‘solução’ para a queda de receita, como sempre, pode ser o bolso do consumidor final. Vários produtos de varejo, hoje isentos, podem ser taxados novamente.

Dois pesos, duas medidas

Governador Carlos Moisés (sem partido) autorizou lotação máxima para o jogo Avaí x Sampaio Corrêa (Maranhão). Algo ao redor de 18 mil pessoas foram à Ressacada. Alguém acredita que, de todos¬¬, foi exigido o tal passaporte da vacina da Prefeitura de Florianópolis e que agora deputados pretendem extinguir? Carnaval, por enquanto não!  Mas não está descartado.

Capital lidera o ranking

Não por coincidência, a Capital lidera a lista de casos ativos de Covid 19, com 512 pacientes em tratamento (números do dia 29). Não por coincidência, também estão suspensas as comemorações de rua em Florianópolis na passagem do ano. Mas tudo ainda depende das conversas no balcão do toma lá, dá cá das eleições de 2022.

Senador Dario Berger (MDB), confirmou, em entrevista ao jornalista Moacir Pereira, ter sido procurado por dirigentes de partidos de esquerda para conversas sobre as eleições majoritárias de 2022. E citou, com todas as letras, o ex-deputado federal Décio Lima, que preside o diretório estadual petista que já disse, se preciso, estar disposto ao sacrifício, de novo.

Como em 2018, quando fez pouco mais de 400 mil votos para governador. Berger, em queda de braço com o grupo que apoia o prefeito Antidio Lunelli, disse que são apenas (por enquanto) conjecturas, mas que fatos novos podem surgir “nos próximos dias”.

Dória e Moro

Além de impor goela abaixo a candidatura de Vinicius Lummertz, atual secretário de Turismo de São Paulo, a governador de SC, João Dória Jr., quer aliança com o ex-juiz federal Sergio Moro (Podemos). Propôs e terá uma conversa com Moro, que em 2018 negou com veemência uma candidatura à presidência da República.

Na semana que vem porque Dória vai para os EUA “recuperar as energias” depois de vencer as prévias do PSDB. É o fim da linha para o ex-deputado Gelson Merisio, até então tido como o candidato do partido. Tucanos de boa plumagem estão revoltados.

Notícias relacionadas

x