Especiais

Do trevo ao pé de coelho – Quais são as histórias por trás dos símbolos de sorte?

A pessoa supersticiosa é alguém que acredita em certos acontecimentos, símbolos e objetos que trazem algum significado ou crença que não se pode explicar de maneira tradicional, ou seja, sem ser um pensamento racional

13/12/2018

Por

O trevo perfeito de quatro folhas é algo muito difícil de se encontrar, porém algumas pessoas acreditam que conseguir tal façanha é assinar um contrato de boa sorte na vida. Tais tradições com símbolos e objetos são bastante comuns, não apenas no Brasil e sim por todo o mundo. Seja por alguma situação histórica, ou então uma mera tradição antropológica, a verdade é que convivemos com essas crenças no nosso dia a dia e nem sempre percebemos. A pessoa supersticiosa é alguém que acredita em certos acontecimentos, símbolos e objetos que trazem algum significado ou crença que não se pode explicar de maneira tradicional, ou seja, sem ser um pensamento racional. No entanto, tal aspecto não faz da situação errada ou certa, mas é sim algo além da busca de definição e que envolve história e cultura. Pessoas com tais crenças estão espalhadas ao nosso redor, seja envolvendo feriados típicos ou então objetivos que possuem alguma história por trás.

No Brasil, existem tradições de todo tipo, sejam de danças históricas de uma região, ou então, alguns símbolos e crenças. No entanto, quase todos conhecemos sem sabermos o verdadeiro motivo e a história por trás. O número sete, por exemplo, sempre foi o símbolo da sorte, porém poucas pessoas param e buscam entender o motivo. Segundo algumas crenças, o número sete está em diversas situações, como, por exemplo, no número de cores que o arco-íris possui, no número de pétalas de uma rosa, ou a quantidade de notas musicais. Por esse, e outros motivos, o sete acabou se tornando, no Brasil e no mundo também, o número da sorte.

Outra tradição comum no país é do pé de coelho, que chegou ao gosto popular vindo do continente africano. Muitos acreditam que o pé esquerdo traseiro do coelho era símbolo de sorte e fertilidade, por isso se tornou um objeto comum em chaveiros, para manter perto e carregar no bolso. Outro comum, e já citado, é o trevo de quatro folhas. Este possui origem na antiguidade, principalmente nos países europeus. Uma das crenças é de que um trevo de quatro folhas seria o símbolo que faria qualquer um encontrar fadas. Elas premiariam a pessoa com sorte e sucesso na vida.

Símbolos e crenças ao redor do mundo

Como essas crenças e tradições são culturais, os países por todo o globo possuem símbolos curiosos para sorte e sucesso na vida. No Japão, por exemplo, existe o Maneki Neko, que é o nome dado ao símbolo de um gato acenando. Muito comum, tal tradição conta que um samurai estava andando pela vila quando notou um gato fazendo um gesto diferente e não habitual, o famoso aceno. Ele saiu da rota em que estava e foi olhar o gato, com isso escapou de uma armadilha que o esperava logo em frente. O gato acenando se tornou o símbolo de um bom presságio. Porém, essa é apenas um versão de várias histórias que existem sobre o animal.

Atualmente, alguns diferentes sites explicam e mostram de onde vieram os símbolos e tradições do mundo, justamente para quem busca objetos para usar no dia a dia ou ter em casa. O portal Dicionário de Símbolos, por exemplo, tem uma lista de emblemas e imagens que dariam uma ideia de símbolos da sorte para carregar eternamente no corpo com uma tatuagem. Já o portal da Betway Casino preparou uma lista com alguns números da sorte para quem gosta de algumas tradições estrangeiras em jogos. Mas, se o objetivo é ter uma casa ambientada com simbologias de boa sorte, o StudioLab Decor possui uma lista com amuletos de todo o mundo. Essas são algumas das formas de conhecer um pouco mais das tradições de alguns países e as crenças que todos nós podemos aprender.

Festas e tradições são comuns para desejar sorte

Seria impossível falar em tantas histórias e símbolos e deixar algumas festas que comemoram e propagam boa sorte. Em Portugal, por exemplo, as festas juninas tem algumas tradições diferentes das do Brasil. Por lá, é comum que pessoas utilizem martelos de brinquedo para acertar a cabeça dos outros como forma de desejar boa sorte na vida. Além disso, pessoas passam ramos de alho nas pessoas também com o mesmo objetivo.

No leste europeu, algumas festas e comemorações diferentes também possuem uma boa intenção. Na Polônia, país com muita força cultural no sul do Brasil, a tradição ?migus Dyngus significa jogar um balde de água nas pessoas. Assim como em Portugal, o objetivo também é desejar sorte para um amigo ou pessoa próxima. E essas são apenas alguns exemplos de inúmeras tradições que existem ao redor do mundo. A pluralidade de cultura e tradições faz com que umas sejam estranhas para outros, porém o que importa é o objetivo de trazer e desejar sorte ao próximo.

Notícias relacionadas

x