Cultura

Incêndio atinge galpão da Cinemateca Brasileira em São Paulo

A casa de cultura já sofreu com quatro incêndios

29/07/2021

Por

Jornalista apaixonada por cultura e segurança pública

Incêndio atinge galpão da Cinemateca Brasileira em São Paulo

Os cinéfilos e amantes das artes choram nesta quinta-feira (29), com o incêndio que atingiu o galpão da Cinemateca Brasileira, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. 

Leia mais

O imóvel atingido pelas chamas não é a sede principal da instituição, que fica na Vila Clementino, mas também guarda parte de seu acervo como a documentação do Instituto Nacional do Cinema, do Concine (Conselho Nacional de Cinema), cópias de segurança de filmes e, possivelmente, arquivos de filmes do curso de cinema da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.

O Corpo de Bombeiros foi chamado para atender a ocorrência em edificação comercial por volta das 18 horas. Cerca de 15 viaturas e 50 socorristas foram enviados ao local. Não há informações de vítimas. 

Segundo o major Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, no galpão há materiais altamente inflamáveis. Os bombeiros disseram ainda que a estratégia para combater o incêndio é impedir que o fogo se alastre para galpões vizinhos.

Em entrevista à TV Globo, a diretora-executiva da Sociedade Amigos da Cinemateca, Maria Dora Mourão, disse que o galpão atingido pelo fogo era o único em uso dentre os galpões da Cinemateca. No local são armazenados documentos e filmes de longas e curta-metragens, um “acervo relevante”.

A casa de cultura já sofreu com quatro incêndios. No último deles, a sede da instituição, na Vila Clementino, foi atingida pelo fogo em fevereiro de 2016. Na ocasião, cerca de 500 obras foram destruídas. 

Conforme o site da instituição, a Cinemateca Brasileira “é responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Tem o maior acervo da América do Sul, formado por cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros, entre outros”.

Fonte: Cultura Escondida 

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x