Colunas

Centenário de Augusto Murer e as obras de Franco na Chiesetta

Um dos grandes artistas italianos completa o centenário de nascimento no dia 21 de maio: Augusto Murer

20/05/2022

Por

Centenário de Augusto Murer e as obras de Franco na Chiesetta

F.J. Brugnago

Um dos grandes artistas italianos completa o centenário de nascimento no dia 21 de maio: Augusto Murer. Ele nunca esteve em nossa região, é verdade, mas em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, deixou uma obra belíssima, as portas de bronze que ornamentam a entrada da Igreja de São Pelegrino, inauguradas em 29 de outubro de 1983 e que completam 39 anos em 2022.

A porta de bronze encanta os fiéis e turistas que se aproximam do templo católico e que se confunde com os primórdios da cidade e do processo de colonização daquela bela região gaúcha. A história está perpetuada no livro “Portas de Bronze – Fé – Arte e História”, de Alvino Melquides Brugalli.

Augusto Murer nasceu em Falcade, Belluno, no dia 21 de maio de 1922 e faleceu em Pádua no dia 11 de junho de 1985, aos 63 anos. Foi um escultor, pintor, artista gráfico e guerrilheiro da resistência italiana. Os moldes em argila foram feitos em seu atelier, na Itália, e enviados para Caxias do Sul para orientar a posterior fundição em bronze dos monumentos que hoje adornam a igreja.

Para a inauguração o próprio Murer veio ao Brasil capitaneando uma comitiva de 21 pessoas. Em 2014, seu filho, Franco Murer, veio conhecer a obra do pai no Brasil, mas antes pintou São Miguel Arcanjo e a cruz no interior do capitel na Chiesetta Alpina, em Jaraguá do Sul e, em 2019, na segunda volta, deixou outra obra de arte (afresco) na parede dos fundos contando a saga da imigração para o Brasil, junto com Celeste Scardanzan.

Se Augusto Murer nunca teve ligação com Jaraguá do Sul, seu filho Franco tem uma relação estreita. Além das pinturas, doou todos os moldes da Via Sacra, as mesmas de Canale D’Agordo, terra natal do Papa João Paulo I (Albino Luciani), que será beatificado em setembro pelo Papa Francisco.

As mesmas formas foram utilizadas para moldar em metal a Via Sacra construída na Chiesetta Alpina, inaugurada na sexta-feira santa de 2021, pelo bispo emérito Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, que foi Arcebispo Primaz do Brasil, na Bahia.

Franco Murer tem a veia artística do pai na escultura e na pintura. Outra obra sua em Jaraguá é a pomba da paz, em madeira, que está na Chiesetta, tendo outra similar em Assis, cidade natal de São Francisco de Assis, na Itália.

Indiretamente, o centenário de nascimento do pai, Augusto, está representado pelo filho Franco, com suas obras na Chiesetta Alpina e que fazem a ligação espiritual entre os descendentes das montanhas dolomitas que emigraram para o Brasil com aqueles que permaneceram na Itália e que fazem parte da mesma história. (Pesquisa, texto e foto + reprodução: Flávio José Brugnago).

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x