Colunas

Coluna: De olho na nova sede

A nova sede da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul será no bairro Vila Nova

16/12/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: De olho na nova sede

“A próxima Mesa Diretora precisará discutir sobre a construção da nova sede da Câmara. Esse será o maior desafio para os próximos anos”. O discurso é do presidente do Legislativo, Onésimo Sell (MDB), ao relatar atividades da Casa durante o ano de 2021 na Associação Empresarial. De fato, e não há por que ser diferente. Afinal, 11 vereadores e 52 funcionários não podem se ‘amontoar’ em total desconforto. A nova sede será no bairro Vila Nova.

Prédios públicos acanhados

Aliás, em Jaraguá do Sul, duas edificações públicas chamam a atenção pelo acanhamento quando comparado ao vigoroso desenvolvimento da cidade: um deles é a antiga sede da Câmara, desocupada recentemente por força de ação do Ministério Público. A edificação, durante décadas, foi a sede própria da Acijs comprada pela Câmara no início dos anos 2000.

Imóvel-sede da Prefeitura – Labirinto de corredores

E o imóvel-sede da Prefeitura, que já abrigou duas grandes empresas do ramo têxtil- Marquardt e Marisol. Foi adquirido (da Marisol) em abril de 2004, no governo de Irineu Pasold. Adaptado, o prédio se transformou em um labirinto de corredores onde servidores e contribuintes não têm conforto. Não precisamos de palácios. Basta um pouco de modernidade com praticidade.

Divulgação/PMJS

Receita crescendo

Segundo projeto de lei assinado pelo governador Calos Moisés (sem partido) que tramita na Assembleia Legislativa e que será aprovado até o final de dezembro, a estimativa de receita total do Estado prevista para 2022 alcança os R$ 37,1 bilhões, um acréscimo 21,64% em relação a 2021. Quando a receita foi calculada em R$ 31,749 bilhões com despesas R$ 32,981 milhões, com um déficit (já superado) superior R$ 1,2 bilhão.

De volta às urnas

João Paulo Kleinübing (União Brasil), duas vezes prefeito de Blumenau, deputado estadual e federal, tenta voltar ao cenário político disputando cargo eletivo em 2022. Depois de compor, em 2018, como candidato a vice-governador na chapa majoritária de Gelson Merisio. Kleinübing, filho do ex-governador Vilson Pedro Kleinübing, que também foi prefeito de Blumenau, vai em busca de uma das 40 cadeiras da Assembleia Legislativa.

Catarinense defende a caça

Um projeto de lei propondo a liberação da caça de animais e aves silvestres para colecionador (de armas), atirador e caçador, gerou bate-boca na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados, onde seria votado na terça-feira (14). A proposta é do suplente de deputado, Nilson Stainsack (PP), ex-prefeito de Presidente Getúlio e que, em 2020, assumiu o mandato por três meses, de setembro a dezembro, pretendendo derrubar a proibição.

Proibição já tem 81 anos

O decreto lei de 20 outubro de 1943, do ex-presidente Getúlio Vargas, proibiu a caça de animais e aves silvestres no país, exceto animais daninhos à agricultura. Como os javalis, cuja caça é autorizada por ser espécie exótica, invasora e de grande capacidade reprodutiva. Causando grandes prejuízos as lavouras de grãos. Foram introduzidos na década de 1990 através do Rio Grande do Sul para o comércio de carne “exótica”, que não prosperou.

Proposta não é nova

A ideia, defendida pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PL), favorável à caça regulamentada, não é nova. Na legislatura passada, o ex-deputado federal Valdir Collatto (MDB) propôs a retomada da caça silvestre, com a criação das chamadas reservas de caça, mas preservando animais em extinção. Não por acaso, Collatto é diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro desde janeiro de 2019, nomeado pelo próprio Bolsonaro.

Notícias relacionadas

x