Colunas

Coluna: Moro muda o cenário

Jair Bolsonaro (indo para o PL) e Ciro Gomes (PDT): o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro (Podemos)

16/11/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Coluna: Moro muda o cenário

Divulgação

A disputa presidencial para 2022 ganhou novo concorrente e, aparentemente, nivelado (no gosto popular) a Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (indo para o PL) e Ciro Gomes (PDT): o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro (Podemos), foi contundente no discurso de quarta-feira (10) em Brasília: “Chega de corrupção, chega de mensalão, chega de petrolão, chega de rachadinha, chega de orçamento secreto”, bradou Moro.

“Precisava de emprego”

Responsável pela prisão do ex-presidente Lula da Silva, ao sair do governo foi para os EUA trabalhar em escritório que defende o Grupo Odebrecht, um conglomerado de empresas parceiras de governos petistas em propinas bilionárias. Depois que saí do governo precisei, como a maioria do povo brasileiro, buscar um emprego a fim de ganhar a vida. Eu precisava trabalhar, nunca enriqueci sendo juiz ou ministro. Tenho família para cuidar”, justificou Moro.

“Precisamos ouvir Moisés”

“Pensar em chapa pura é um erro”. Palavras do deputado Moacir Sopelsa (MDB), que assume a presidência da Assembleia Legislativa em 2022, sobre tese defendida por alguns colegas do partido para a disputa do governo do Estado. E disse mais, sobre o governador Carlos Moisés: “está fazendo muitas realizações, atendendo as bases e precisamos ouvi-lo também”. Resumindo, por ele (pela maioria dos deputados) Moisés seria o candidato do MDB.

Diárias ‘esquecidas’

Dez anos depois da denúncia o Tribunal de Contas do Estado reabriu investigações sobre suposto uso irregular de diárias por deputados estaduais e servidores da Assembleia Legislativa, entre os anos de 2009 e 2011. Na lista estão 45 deputados entre as 280 pessoas arroladas. E que teriam gasto, juntos e indevidamente, a soma de R$ 12 milhões.

Deputados conselheiros

Agora, é de se perguntar: por que se passou uma década com toda a papelada na gaveta? Não por coincidência (ou seria?), dois deputados da época foram nomeados posteriormente como conselheiros do TCE- as vagas são preenchidas por indicações da Assembleia e governo do Estado. Naquele período, consta, sete deputados receberam diárias acima de R$ 250 mil.

O novo terminal

O projeto executivo de revitalização do terminal de passageiros do transporte coletivo urbano está em fase de finalização, mas ainda não se tem uma data precisa para o início das obras, hoje orçadas em R$ 3 milhões. Com recursos que podem sair da conta do orçamento destinado a atividades de segurança no trânsito.

Imóvel tem 77 anos

Exceto a cobertura metálica construída no governo do ex-prefeito Moacir Bertoldi (2005/2008), a estrutura da antiga rodoviária de Jaraguá do Sul é a mesma desde a a inauguração, em1944. As mudanças previstas seguem modelo de terminais existentes em outras cidades, como na vizinha Blumenau. A proposta de implantação do transporte integrado entre bairros, com passagem única, aventada no governo de Cecília Konell, caiu no esquecimento.

Notícias relacionadas

x