Colunas

POLÍTICA & POLÍTICOS

Gás fracionado 1- A proposta do governo de permitir a venda fracionada de gás de cozinha será debatida… Leia mais

10/09/2019

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

POLÍTICA & POLÍTICOS

Gás fracionado 1– A proposta do governo de permitir a venda fracionada de gás de cozinha será debatida amanhã (11) na Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado. A possibilidade de o consumidor encher o botijão de forma parcial foi anunciada em julho pela Agência Nacional de Petróleo. Além do fracionamento, o governo também estuda permitir o enchimento do botijão por diferentes marcas. Mas há preocupação de especialistas com os possíveis impactos dessas medidas porque, supostamente, pode gerar aumento do preço do gás e pôr em risco a segurança dos consumidores.

Gás fracionado 2– No Brasil não é possível comprar um botijão parcialmente cheio. Isso, segundo o governo, impacta particularmente as famílias de baixa renda, que chegam ao final do mês sem recursos para comprar um botijão completo. Comparando, seria como o dono de um carro ser obrigado a encher o tanque a cada vez que abastece. Outra mudança pode ser a opção de o consumidor levar o botijão de gás vazio diretamente para locais de enchimento, sem precisar devolver o vasilhame.

MDB DE SC EM JARAGUÁ DO SUL – No próximo dia 13 de setembro, sexta-feira, ocorre em Jaraguá do Sul, reunião da Associação dos Prefeitos, Vice-prefeitos e Vereadores do MDB de Santa Catarina. Conforme o prefeito Antídio Aleixo Lunelli, que é vice-presidente da entidade, este será o segundo encontro. O primeiro ocorreu em Curitibanos, no dia 6 de julho, com o objetivo de discutir o futuro partido.O prefeito Antídio gravou um vídeo convidando os colegas do Estado para o encontro. Afora as discussões partidárias, o prefeito de Jaraguá do Sul deve comentar sobre as estratégias da iniciativa privada levadas para o setor público.

MORRE WALMOR DE LUCA – A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina suspendeu a sessão que realizaria nesta terça-feira (10), em função do falecimento do ex-deputado federal Walmor de Luca, marido da deputada estadual Ada Faraco de Luca (MDB), ocorrido na manhã de ontem (9). Walmor Paulo de Luca iniciou a vida política em 1966, eleito vereador em Içara/SC, para o período de 1967 a 1970, pelo MDB, partido do qual foi um dos fundadores no município. Pelo MDB, elegeu-se deputado federal por Santa Catarina em 1974, conquistando nas eleições seguintes mais três mandatos para a Câmara dos Deputados – foi deputado constituinte em 1988. O velório está acontecendo na Câmara Municipal de Içara e o corpo será cremado nesta terça-feira.

Fundo eleitoral 1– Candidato à reeleição, prefeito de Guaramirim, Luís Antônio Chiodini (PP) disse ser radicalmente contra o uso de dinheiro público para financiar campanhas. Assim, vai encaminhar ofício à cúpula estadual para que o PP local seja excluído da relação de cidades que receberão recursos do Fundo Eleitoral.

Fundo eleitoral 2-Mas nada que sensibilize figuras do comando estadual, useiros e vezeiros do dinheiro público em campanhas. Em tempo: em 2016 Chiodini usou dinheiro do Fundo Partidário, também mantido com impostos. Vale como mero apelo eleitoral pela reação popular contra a proposta de elevar o Fundo para R$ 3,7bilhões, valendo já em 2020.

Quando? – Famílias com renda mensal igual ou inferior a meio salário mínimo ou renda familiar de até três salários mínimos, ficam isentas do pagamento de passagens no transporte coletivo urbano de Jaraguá do Sul. Projeto do prefeito Antídio Lunelli (MDB) neste sentido foi aprovado pela Câmara de Vereadores. Perguntar não ofende: quando é que os vereadores vão tirar um tempo para questionar o porquê da tal “passagem embarcada”, hoje a R$ 5,00? Essa modalidade só existe aqui e em Joinville. Coincidência ou não, monopólios da mesma empresa.

E não é?– “É possível se eleger pela internet, mas não administrar um Estado pela rede social. Eu acredito na política de rua, no contato com as pessoas, com líderes comunitários e empreendedores que produzem e geram riqueza para Santa Catarina. E não na política do conforto que se tem dentro do gabinete ou da Casa D’Ágronômica.” Discurso do deputado Laércio Schuster (PSB), sugerindo que o governador Carlos Moisés (PSL) “saia do palácio, do celular e vá para a vida real das famílias”. Em tempo: fim de semana sim e, não raro, outro também, Moisés visita Tubarão (onde fez carreira como bombeiro militar) e redondezas. E não perde a viagem, sempre liberando recursos para obras.

No PSL- Números divulgados pelo deputado federal Fábio Schiochet, presidente do diretório estadual do PSL, o partido conseguiu cerca de 15 mil novos filiados em Santa Catarina no movimento de filiação feito no dia 17 de agosto. O que representaria 316% a mais em relação a 2018. No plano nacional, o PSL alcançou a marca de 459.714 filiados. Pelo andar da carruagem, sem roubo de dinheiro público e pela relativa adesão de eleitores, é possível que a “onda Bolsonaro” ainda surta alguma efeito em 2020.

Notícias relacionadas

x