Colunas

Único vereador do DEM em Joinville teve mandato cassado

Caso idêntico também motivou outra ação na Justiça Eleitoral joinvilense, movida pelo suplente Mauricinho Soares e o MDB, que é o seu partido, contra a eleição de Osmar Vicente (PSC).

23/02/2021

Por

Nascido em Blumenau, 70 anos, 55 de profissão, incluindo passagens pelo rádio. E em jornais diários como A Notícia (Joinville), Jornal de Santa Catarina (Blumenau) e O Correio do Povo (Jaraguá do Sul)

Em Joinville, o único representante do DEM na Câmara de Vereadores foi cassado pela Justiça Eleitoral.

Sidney Sabel, reeleito em 2016 com 2.514 votos, foi acusado em ação movida pelo suplente de vereador Ednaldo José Marcos e pelo seu partido, o PROS, de contratar duas candidatas “laranjas”, por R$ 10 mil cada uma. E apenas para completar a cota reservada às mulheres na chapa proporcional do partido. Mas restou comprovado que elas fizeram campanha, somando votos que teriam beneficiado Sabel, que pode recorrer. Sua cadeira será ocupada por Ednaldo.

MDB quer vaga

Caso idêntico também motivou outra ação na Justiça Eleitoral joinvilense, movida pelo suplente Mauricinho Soares e o MDB, que é o seu partido, contra a eleição de Osmar Vicente (PSC).

Também por ter utilizado de “candidaturas” laranjas de mulheres na campanha de 2018 apenas para preencher o número de candidaturas femininas definido pela legislação eleitoral vigente.

No caso de Sabel e de Vicente (este último a confirmar a cassação) os votos recebidos são anulados e o diploma de eleito cassado.

Procurando nomes

De olho em 2022, o diretório do MDB catarinense (que tem 71 membros), presidido pelo deputado federal Celso Maldaner, reuniu-se ontem (22) em Florianópolis, para discutir sobre a realização ou não de prévias internas visando a indicação de um nome ao governo do Estado e critérios para escolha dos que vão disputar cadeiras na Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados.

Até agora, o MDB não tem um nome sequer com a necessária densidade eleitoral para disputar a sucessão de Carlos Moisés (PSL). Aliás, governo que o próprio MDB apoia.

Sem comentários

Em 2020, o Grupo Lunelli, do prefeito Antidio Lunelli (MDB), doou 10 respiradores para o Hospital São José a um custo total de R$ 425 mil, destinado a pacientes com a Covid-19.

Na semana passada, a Federação das Indústrias de Santa Catarina anunciou a doação de oito respiradores para o hospital de São Miguel D’Oeste, fabricados em Mafra pela empresa GreyLogix. Investimento de R$ 321,5 mil, incluindo o transporte aéreo.

Parques públicos

Com frequência, os dois grandes parques públicos de Jaraguá do Sul – Inovação e Via Verde – têm sido visitados por agentes públicos de outras cidades catarinenses, que também planejam investimentos em lazer público.

No caso da Via Verde, saiu do papel nessa gestão depois de anunciado há cerca de oito anos. Na região do Vale do Itapocu e, quiçá, em Santa Catarina, não há áreas similares do gênero. O que é bom deve ser copiado, sempre que possível.

Infraestrutura

Senador Dario Berger (MDB) comandará a (importante) Comissão de Infraestrutura do Senado.

Claro que a discussão de problemas do setor não se resumirá a Santa Catarina pelo fato de Berger ser catarinense. Mas, dá a expectativa de que o governo saberá com mais frequência sobre o ritmo de tartaruga das obras de duplicação da BR-280.

É preciso cutucar, todo dia. Ou nada acontecerá. Berger quer ser candidato a governador. Então, que mostre serviço.

Comércio fechado?

O empresário Bruno Breithaupt, presidente da Federação do Comércio de Santa Catarina, considera inadmissível o fechamento (de novo) do comércio por conta do crescente número de pessoas contaminadas pela Covid-19.

“Não é possível que as empresas que estão tomando as medidas para preservar a saúde paguem o pato por irresponsabilidades de terceiros”, disse Breithaupt, creditando a expansão do vírus às aglomerações em festas e outros eventos.

Prezando a saúde

“O setor de comércio e serviços tem adotado os protocolos recomendados pelas autoridades sanitárias, prezando pela segurança de clientes e colaboradores e não é o vilão dessa história”, reagiu.

“Esperamos também que o Estado consiga viabilizar o mais rapidamente possível o plano de vacinação para que a economia volte aos trilhos”, concluiu Breithaupt. Há que se concordar: a irresponsabilidade de muitos tem contaminado muitos outros.

 

Receba as colunas e notícias do JDV no seu WhatsApp!

Notícias relacionadas

x