Geral

Criança vítima de tráfico de pessoas volta a morar com a família em SC: ‘estamos em paz’

Menino de 2 anos sumiu após ser levado da mãe, em São José, para São Paulo; família foi submetida a análise psicossocial

07/08/2023

Por

Estudante da 5ª fase de Design, curiosa por natureza e apaixonada pelo que faz.

A criança de 2 anos que desapareceu em São José, na Grande Florianópolis, e foi encontrada após nove dias em São Paulo, voltou a morar com a família. A informação foi compartilhada pelo tio do menino, Juliano Gaspar, de 35 anos, que comemorou o retorno do sobrinho.

Na publicação, Juliano conta que a criança voltou para a casa nesta semana após três meses de análise sob investigações e estudos psicossociais.

“Escrevo esse texto em meio a lágrimas, que dessa vez são de alegria e alívio por ter o nosso anjinho de volta”, escreveu.

No texto, ele falou sobre a importância dos estudos e acompanhamentos feitos por psicólogos e assistentes sociais e informou que a guarda do sobrinho é compartilhada entre os avós e a mãe do menino.

Na publicação, o tio agradeceu as forças de segurança e as pessoas que ajudaram a divulgar as buscas pelo sobrinho.

“Eu preciso e devo muito comunicar esse feliz desfecho a todos que se mobilizaram, compartilharam, enviaram pensamentos positivos ou que de alguma forma através de suas crenças e religiões mandaram boas energias e vibrações para que ele voltasse são e salvo à nossa família”.

Criança desapareceu em abril

O desparecimento foi comunicado pela avó, desencadeando uma investigação pela Polícia Civil. A mãe do pequeno foi encontrada desacordada e estava na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) quando as buscas começaram.

Os policiais conseguiram rastrear um carro suspeito, localizado em São Paulo. Durante a abordagem, realizada pela Polícia Militar paulista, a criança foi localizada com um homem acompanhado de uma mulher. Ambos foram presos em flagrante.

Após receber alta da UTI, a mãe confessou que o entregou a um homem depois de dois anos de insistência. A delegada da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso) de São José, Sandra Mara, contou que a mãe conheceu o homem que pegou a criança durante a gravidez, em um grupo de apoio.

A defesa do suspeito, investigado por tráfico de pessoas por ter intermediado a adoção ilegal, afirma que a mãe do menino enviou fotos demonstrando que tinha sido expulsa de casa, versão negada por familiares da mulher.

O menino estava em um abrigo de São José, onde voltou a receber visitas da mãe e dos avós durante o estudo feito pelos profissionais.

 

Conteúdo postado por ND+

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? Participe do nosso grupo de WhatsApp ou Telegram!

Siga nosso canal no youtube também @JDVDigital

Notícias relacionadas

x