Geral

Deputada de SC manifesta preocupação com aumento da Covid em crianças

Para a parlamentar é falsa a crença de que criança não pega a doença e citou a morte de um menino de 12 anos por covid-19 no estado

17/08/2020

Por

A deputada Luciane Carminatti (PT) apresentou dados que apontam o aumento de casos de Covid-19 entre crianças e adolescentes em Santa Catarina e ponderou a necessidade de manter cautela no debate sobre o retorno das aulas presenciais.

“Em Joinville, a maior cidade do estado, há cerca de 250 crianças com coronavírus. Isso falando das testadas, porque o número daquelas que estão contaminadas, transmitindo o vírus adiante, é incontável pela falta de testagem. Lembrando que dos três hospitais públicos superlotados hoje, dois ficam em Joinville. Ou seja, os adultos e idosos contaminados a partir do contato com essas crianças não tem pra onde ir”, ressaltou.

Leia mais:

A parlamentar esclareceu que é falsa a crença de que criança não pega a doença. Pelos dados oficiais, 2.250 crianças de 0 a 9 anos estavam com a doença no último dia 30 e mais de 4 mil adolescentes e jovens de 10 a 19 anos também.

“Isso sem aulas presenciais. Calcule com o retorno às escolas”, ponderou.

Luciane apresentou dados do Necat, o Núcleo de Estudos de Economia Catarinense, da UFSC, em que a velocidade de contágio entre crianças e adolescentes deu um salto e chegou a níveis que ainda não tinham sido registrados aqui em SC. Em julho, o número de crianças e jovens com Covid-19 foi 200% maior
em relação ao mês anterior.

A presidente da Comissão de Educação trouxe ainda o exemplo do estado do Maranhão, onde duas escolas particulares voltaram a suspender as aulas presenciais. Cerca de 50 optaram por reabrir as escolas mas, poucos dias depois, casos confirmados entre os profissionais levaram novamente à suspensão, mesmo com uma série de medidas preventivas adotadas por um rigoroso protocolo
de saúde e segurança.

“Trazendo presente o menino Samuel, morto aos 12 anos de idade, por Covid-19, no último final de semana, digo que as vidas perdidas estarão sempre à nossa vista; e as vidas que não queremos perder, no nosso horizonte”, finalizou.

Notícias relacionadas

x