Geral

Em menos de uma semana duplicam os focos de dengue em Jaraguá do Sul

Bairro Vila Nova ultrapassa o Centro em número de casos e Zoonoses tem tido dificuldade para convencer munícipes a fazer adequações que impeçam a proliferação do mosquito transmissor.

26/01/2021

Por

Os números da dengue em Jaraguá do Sul que já não eram nada animadores no começo da semana passada pioraram significativamente em menos de sete dias segundo o setor de Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde a Prefeitura de Jaraguá do Sul.

A quantidade de focos da larva do mosquito transmissor da dengue, Aedes aegypti, encontrada do município saltou de 21 para 41 neste período.

O Centro deixou de ser o principal ponto de proliferação do mosquito com 11 focos e agora fica atrás do bairro Vila Nova que já tem 14. A terceira colocação fica com o Vieira, que pulou de dois para quatro focos nos últimos dias.

Logo no início desse ano, a prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, já alertava os jaraguaenses quanto aos cuidados para evitar a dengue. Para isso, a pasta reforça uma campanha lançada no ano passado.

Com impulsionamentos no perfil do Instagram e Facebook da Prefeitura de Jaraguá do Sul, veiculações em sites, jornais, rádios e outdoors, o poder público quer conscientizar a todos sobre a importância de evitar acúmulo de água, seja numa tampinha de garrafa, seja em um tambor ou em um pratinho de vaso de planta.

Qualquer recipiente com água é um local propício para o mosquito fêmea colocar seus ovos e se proliferar.

Leia mais:

“A gente tem encontrado bastante dificuldade no cumprimento dessas adequações por parte dos munícipes. Com frequência, precisamos voltar uma, duas ou até três vezes no mesmo local por conta disso”, destaca a supervisora do Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde, Aline Cristiane Borba Monteiro.

Caso as adequações apontadas pelos agentes não sejam feitas no prazo estabelecido durante as visitas, é comunicado ao munícipe que a Vigilância Sanitária será notificada quanto a situação do imóvel.

“Nesta caso, se a situação persistir, a própria Vigilância poderá autuar, multar o dono do imóvel ou até interditar o local dentro do que rege a legislação”, destacou a supervisora. O valor da multa pode ir de R$198,64 até R$ 9.932,00.

Aline Monteiro aponta que dos 41 focos encontrados até o momento, 18 estavam em residências.

“Outros seis focos estavam onde temos monitoramento por armadilhas, porém fora delas. Ou seja, a armadilha estava lá para o monitoramento, mas o mosquito preferiu um axial de planta de palmeira, que tinha depósito de água e postou os ovos ali” observou.

“Peço encarecidamente que os munícipes escutem os agentes, as orientações e façam as adequações em suas residências e nos locais onde trabalham, evitando o acúmulo e a proliferação do mosquito da dengue.”

Números da doença

No ano passado, Jaraguá registrou o maior número de pessoas com dengue na história do município: 25 pessoas, sendo que duas delas pegaram dengue dentro da cidade (não haviam viajado / casos autóctones). Todas se recuperaram. Os maiores números da doença haviam sido registrados em 2011 (22 casos) e 2013 (22 casos).

Cuidados dentro e fora de casa

  • Tampe os tonéis e caixas d’água;
  • Mantenha as calhas sempre limpas;
  • Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
  • Mantenha lixeiras bem tampadas;
  • Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
  • Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
  • Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
  • Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
  • Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e fontes ornamentais;
  • Limpe ralos e canaletas externas;
  • Atenção com bromélias e outras plantas que podem acumular água;
  • Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água.

 

Receba as notícias da JDV no seu WhatsApp!

Notícias relacionadas

x