Geral

Hortas comunitárias, um programa vitorioso e cada vez mais crescente em Jaraguá do Sul

O município, soma 50 espaços de plantio compartilhados em diferentes bairros

21/06/2022

Por

Hortas comunitárias, um programa vitorioso e cada vez mais crescente em Jaraguá do Sul

Arquivo/JDV

Integrante do Programa Germinar, o Programa Hortas Comunitárias, em Jaraguá do Sul, tem se revelado um sucesso. A iniciativa da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento reúne moradores comprometidos com o programa, de associações constituídas ou não, que recebem o suporte total, em todas as etapas.

De acordo com o secretário Marcos Voltolini, a Secretaria prepara todo o terreno, passa o arado, rotativa e deixa os canteiros prontos. Fornece ainda material como palanques, telas, insumos e as mudas. A parte operacional, como o plantio e a manutenção e distribuição fica pela coordenação dos próprios moradores envolvidos

Para ele, as hortas comunitárias trazem benefícios que vão além dos canteiros e chegam a casa das famílias e a saúde de seus integrantes, promovendo inclusão social além da segurança alimentar, com produtos de qualidade divididos entre as famílias participantes e o excedente pode ser doado, nunca vendido.

O município, soma 50 espaços de plantio compartilhados em diferentes bairros. Esses locais são ainda uma oportunidade para criação de laços de solidariedade e companheirismo entre a comunidade. Todas as mudas são produzidas por apenados em um galpão próximo do Presídio Regional localizado no Jaraguá 84.

Com isso, eles têm chances de trabalhar e de ter a pena reduzida.

Para Voltolini, os voluntários que trabalham nas hortas se beneficiam do exercício, da luz do sol, bem como do alívio do estresse.

“Aprendem como as plantas crescem e têm uma atividade de cuidado dessa plantação, o que traz novos estímulos, tanto físicos quanto mentais, além integrar a comunidade e de produzir uma alimentação de qualidade, sem agrotóxicos”, conta.

Mais de 440 famílias participam diretamente da iniciativa

A comunidade fica com a parte da manutenção dos canteiros e embelezamento do entorno do local. A manutenção é feita pelos próprios beneficiados pelo projeto. Geralmente quem solicita a implantação das hortas tem algum tipo de conhecimento na área, porém a Secretaria conta com um engenheiro agrônomo e técnico agrícola disponível para eventuais necessidades e orientações.

Marcos Voltolini registra que atualmente são 50 hortas comunitárias e mais quatro sendo efetivadas. São 442 famílias diretamente envolvidas e 2,2 mil pessoas, o que é um número considerável. Somente em 2022, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Rural e Abastecimento, já foram entregues paras as hortas comunitárias, 88.933 mudas e 293 m3 de composto orgânico.

“Desde o início do programa, já foram produzidas e entregues 448 mil mudas”, completa.

As hortas são implantadas exclusivamente sobre terrenos públicos, por isso, os produtos são somente para o consumo de cada grupo participante.

“Pode haver doação do excedente para entidades, ou mesmo vizinhos, vender jamais. Essa é uma regra que é seguida à risca”, completa.

Agricultura ainda tem importância significativa na economia municipal

O Município de Jaraguá do Sul não é apenas indústria, comércio e serviços. A agricultura ainda tem um peso significativo. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento, tem 1.656 cadastros ativos de produtores rurais, que efetivamente tiram o sustento da terra. “A eles temos dado todo o suporte, estimulando a produção e à permanência na atividade”, conta o secretário Marcos Voltolini.

A principal atividade agrícola é a bananicultura. A estimativa é de que haja plantados 2 milhões de pés de banana. A criação de peixes em açudes, arroz irrigado e criação de gado de corte confinados, são outras atividades de campo, além das culturas de subsistência como o aipim, milho, feijão e outras.

A Prefeitura dispõe de uma patrulha agrícola mecanizada com tratores, rotativas, arados, distribuidor de esterco e calcário, mais ensiladeiras. Existe o subsídio no custo por parte do Município que pode chegar a 60%.

A Secretaria, de acordo com Voltolini, tem incentivado o uso da nota fiscal do produtor rural. Para ele, isso é essencial.

“Não é correto tirar nota do produtor apenas para comprovar na aposentadoria. É preciso que em cada venda efetuada seja tirada a nota que ajuda o produtor e muito mais o município que pode comprovar a movimentação econômica rural e aumentar o valor de retorno do ICMS”, registra.

O secretário Marcos Voltolini diz que isso é cultural, mas a realidade precisa ser mudada.

“Recentemente fizemos uma campanha de incentivo à nota fiscal do produtor rural que deu resultados, mas precisamos avançar mais”, completa.

Produtores rurais recebem assistência como estímulo

Durante o ano de 2021, conforme relato do secretário Marcos Voltolini, do Desenvolvimento Rural e Abastecimento, 362 produtores foram atendidos com 2.425 horas da patrulha agrícola própria e 1.022,5 horas com máquinas terceirizadas. Foram entregues 2.630 calhas e tubos a 121 produtores e 5.129 m3 de brita, pedra e ou macadame para 165 propriedades rurais.

O atendimento veterinário chegou a 1.409, com 381 exames em animais e 395 produtores atendidos. Foram efetuadas 823 inseminações artificiais para 290 propriedades e 501 ações do Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Atendimentos com orientações técnicas na área da agronomia alcançou 1.230.

A Secretaria, também, atualizou no ano passado 136 cadastros do INCRA e recebeu 43 requerimentos para aposentadoria. Também recebeu 72 pedidos para cortes de árvores e 110 de terraplenagem. Notas fiscais de produtores primários chegaram a 2.799 e foram feitos 84 novos cadastros. Este ano a procura por atendimentos e serviços continua expressiva, conforme levantamento fechado em 15 de junho.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp! 

Notícias relacionadas

x