Geral

Imunização de crianças e gestantes está muito abaixo da meta em Jaraguá do Sul

O grupo infantil é o que mais preocupa pela baixa adesão dos pais em aderir a prevenção. O panorama se repete em muitas cidades do estado e federações.

28/05/2020

Por

Imunização de crianças e gestantes está muito abaixo da meta em Jaraguá do Sul

Termina no dia 5 de junho a Campanha de vacinação contra a gripe, que protege para o H1N1, H3N2 e influenza B.Trata-se da terceira etapa e, desta vez, o alvo envolve professores e auxiliares de sala, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), adultos de 55 a 59 anos, pessoas com necessidades especiais e crianças de seis meses a menores de seis anos.

Este grupo é o maior, com 20,3 mil pessoas a serem imunizadas.

De acordo com a supervisora de imunização, Ana  Cristina Machado Kneipp, a vacinação em gestantes e crianças está abaixo do esperado. Do total de gestantes, apenas 825 (47,58%) receberam a dose. Entre as crianças o índice é menor, de 43,12% (4.832).

Leia mais:

 “São os grupos que mais nos preocupam. Infelizmente, isso é um reflexo de outros municípios também pelo que observamos Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI )”, pondera.  

As crianças, historicamente, não atingem a meta de 90% estabelecida pelo Ministério da Saúde. Nos últimos anos foram vacinadas, em média, 80% das crianças.

Há doses disponíveis em todas as 22 salas de vacinação do município. Até o momento foram imunizadas 34.760 pessoas; a  meta da Secretaria de Saúde é atingir 45 mil.

“As equipes têm tomado todos os cuidados necessários para evitar o contágio com a covid-19, por isso os pais não precisam ter receio algum em se dirigir às unidades de saúde para imunizar os filhos.

O mesmo vale para as futuras mães”, tranquiliza Ana Kneip.

Idosos e profissionais da saúde, integrantes da primeira fase, iniciada em 23 de março, foram os grupos de maior procura por imunização. Nos idosos foram aplicadas 2,69 mil doses a mais (a estimativa do IBGE era de 11.750 e 14,4 mil foram imunizadas).

O número de vacinas destinadas aos profissionais da saúde também foi acima da média (a previsão média dos anos anteriores, que era 2.336, passou a 3,2 mil). 

A primeira etapa, destinada justamente para profissionais da saúde e pessoas com mais de 60 anos, resultou em cobertura 136% e 123%, respectivamente, num universo de 17.643 pessoas. 

Segundo Ana, este grupo é, em geral, o que melhor adere à campanha. 

Na segunda etapa, a prioridade foram os profissionais da força de segurança e salvamento, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população carcerária, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras transmissões clínicas especiais.

Estima-se que cerca de 11 mil pessoas façam parte deste grupo e 7,9 mil foram imunizadas. Constam nesta soma os integrantes do sistema prisional.

É importante ressaltar que as pessoas das fases anteriores que ainda não se vacinaram também podem ser imunizadas. A vacina contra a gripe não imuniza contra o Coronavírus, mas o fato da população estar vacinada contra a gripe facilita o diagnóstico da Covid-19.

Notícias relacionadas

x