Geral

Indenizados pelo DPVAT com mais 65 anos são pedestres

A análise por tipo de cobertura também expõe outra realidade preocupante envolvendo os idosos.

07/10/2020

Por

Indenizados pelo DPVAT com mais 65 anos são pedestres

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Internacional do Idoso celebrado no dia 1º de outubro é uma oportunidade para que as pessoas lembrem que a idade chega para todos, e que, com ela, dificuldades e desafios surgem, inclusive no trânsito.

Dados do Seguro DPVAT mostram que os pedestres são as principais vítimas em acidentes envolvendo a faixa etária com mais de 65 anos. De janeiro a agosto deste ano, 9.145 indenizações já foram pagas a acidentados nesta faixa etária em todo o país.

Deste total, 56% (ou 5.135) foram para pessoas que estavam na condição de pedestre no momento da ocorrência.

Em seguida, aparecem os motoristas, com 28% (ou 2.617) dos benefícios concedidos neste período, e os passageiros, os menos atingidos, com 1.393 indenizações. De acordo com os números da Seguradora Líder, entre os veículos envolvidos nos acidentes, as motocicletas se destacam, representando 48% dos seguros pagos. Já os automóveis ficam em segundo lugar, com 38% das indenizações.

A análise por tipo de cobertura também expõe outra realidade preocupante envolvendo os idosos. Mais de 51% (ou 4.690) das vítimas com mais de 65 anos indenizadas pelo Seguro DPVAT, de janeiro a agosto deste ano, ficaram com algum tipo de invalidez permanente.

Além disso, 2.529 mil benefícios foram pagos a familiares de pessoas que morreram nos acidentes. Já a cobertura por reembolso de despesas médicas e suplementares alcançou 1.926 indenizações.

Estatísticas – No Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, no quarto trimestre de 2019, do total dos 210,1 milhões de brasileiros, 34 milhões eram idosos, ou seja, 16,2% da população do país.

Apesar de os dados do Seguro DPVAT mostrarem uma queda de 15% no número de indenizações pagas nesta faixa etária, na comparação com o mesmo período de 2019, as estatísticas ainda reforçam a necessidade de muitos cuidados com a segurança dos idosos no trânsito.

Entre alguns exemplos dos obstáculos que os idosos enfrentam nas ruas estão o excesso de velocidade dos veículos, a condução imprudente e, em muitos casos, a dificuldade na travessia por conta do curto espaço de tempo do semáforo para o pedestre.

No painel, é possível encontrar a quantidade de acidentes registrados no Brasil e fazer cruzamentos por categoria, coberturas e por faixa etária.

 

Notícias relacionadas

x