Geral

Moradores de rua recebem ajuda durante pandemia em Jaraguá do Sul

Crise sanitária amplia ações do Serviço Especializado em Abordagem Social

15/05/2020

Por

Moradores de rua recebem ajuda durante pandemia em Jaraguá do Sul

A pandemia de coronavírus ampliou as ações do Serviço Especializado em Abordagem Social, da Secretaria de Assistência Social, com a Secretaria de Saúde. A ação conjunta com as duas secretarias iniciou em 22 de abril e, desde então, 32 pessoas em situação de rua foram abordadas, segundo o psicólogo Ricardo Michalak. Nos primeiros quatro meses deste ano, foram 524 as abordagens de crianças, adolescentes e pessoas em situação de rua que utilizam estes espaços como moradia, obtenção de renda ou sobrevivência. Em 2019, de janeiro a dezembro, foram 1450.

A busca ocorre em locais de intensa circulação de pessoas, como praças, terminais de ônibus, trens e pontes, identificando a incidência de trabalho infantil ou exploração sexual. Além de assistente social, psicólogo e agente comunitário, uma técnica em enfermagem orienta sobre os riscos de contágio da Covid-19, a importância do isolamento e distanciamento social, ofertando máscaras e aferindo a temperatura.

Leia mais:

Para a técnica em enfermagem Zelize Fernanda Schenekemberg, a união de esforços entre as duas secretarias oportuniza um espaço de construção de estratégias para a redução de riscos e danos. “Entendemos que o público atendido merece toda atenção, pois fogem da maneira habitual de enfrentar a vida, logo a resolutividade desses problemas nunca será simples”, diz.

De acordo com a gerente de Proteção Social Especial de Média Complexidade, Maria Andréia Stank, o momento atual é difícil e complexo para todos, em especial para os cidadãos que estão vivendo no espaço da rua, por isso as ações conjuntas entre as Secretarias de Assistência Social e Saúde são positivas e necessárias.

Realizado pelo Creas Baependi, o Serviço de Abordagem busca a resolução das necessidades imediatas das pessoas em situação de vulnerabilidade social, promovendo a inserção na rede de serviços socioassistenciais e das demais políticas públicas, visando garantia e efetivação dos direitos básicos dos cidadãos. Há o encaminhamento para órgãos públicos como INSS, SINE, Segurança Pública, Defensoria, obtenção de documentos e acesso ao mercado de trabalho, por exemplo.

A equipe também possibilita o acolhimento na Casa de Passagem e orienta sobre o acesso ao Auxílio Emergencial do Governo Federal. “Há uma preocupação especial com os usuários na tentativa do restabelecimento dos vínculos familiares e, quando possível, para a reinserção no mercado de trabalho. “Todos os procedimentos objetivam a independência, o autocuidado e a inclusão produtiva destes cidadãos”, explica Maria Andréia.

Notícias relacionadas

x