Geral

Nova forma de custeio evitará colapso no plano de saúde dos servidores de Jaraguá

A avaliação foi feita com base no Relatório de Avaliação Atuarial

01/09/2021

Por

Nova forma de custeio evitará colapso no plano de saúde dos servidores de Jaraguá

Banco de imagens JDV

Encontra-se na Câmara Municipal de Jaraguá do Sul para ser analisada e votada a proposta que altera a forma de contribuição do Issem-Saúde, a autogestão de saúde dos servidores públicos municipais. A nova proposta altera a forma de cobrança de mensalidade de percentual de contribuição sobre a folha de pagamento mensal para mensalidade por faixa etária. A avaliação foi feita com base no Relatório de Avaliação Atuarial.

O assunto já vem sendo debatido internamente desde o ano passado, e se deve ao cenário financeiro do Issem-Saúde, com receitas caindo e despesas aumentando, podendo ocorrer o colapso caso não sejam tomadas providências.

Nos últimos cinco anos, as receitas de operação do Issem-Saúde não cobrem as despesas e o déficit deste período já ultrapassa os R$ 9,4 milhões. Desde 2016 até o mês de julho de 2021 as receitas foram de R$ 123.381.945,18 e as despesas R$ 132.839.328,24.

Em 2020, as receitas do Issem-Saúde chegaram a R$ 26.591.096,81 e as despesas foram de R$ 27.976.402,58, um déficit de R$ 1.385.305,77. Nos 12 meses do ano passado, Issem-Saúde custeou 6.627 cirurgias, internações e pequenos procedimentos e 194.836 outros serviços.

O Fundo cobre 100% dos custos das internações, sem qualquer coparticipação do segurado, como um diferencial em relação aos planos de saúde privados.

“Caso não seja aprovada a proposta na Câmara de Vereadores, em decorrência do resultado negativo mensalmente apontado, o Issem-Saúde entraria em colapso pela sua insustentabilidade, iniciando neste ano com atraso nos pagamentos aos seus credenciados (prestadores de serviços)”, adverte o presidente do Issem, Márcio Erdmann.

Custo do Issem-Saúde continuará mais vantajoso que plano privado

O Issem oferece, por meio de rede credenciada, serviços de consultas médicas, exames complementares, internação, procedimentos cirúrgicos, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicoterapia, quiropraxia, acupuntura, terapia ocupacional e assistência odontológica.

Possui 3.966 titulares (2.750 ativos e 1.216 aposentados) e 3.711 dependentes, totalizando 7.677 beneficiários. Quase a metade dos beneficiários do Issem-Saúde contribuem com no máximo R$ 100,00 mensais.

A nova proposta altera a cobrança de mensalidade que hoje é percentual de contribuição sobre a folha de pagamento mensal para mensalidade por faixa etária. Além disso, a Prefeitura de Jaraguá do Sul manterá o aporte patronal como é feito atualmente.

Para o presidente do Issem, Márcio Erdmann, a proposta aprovada pelo Conselho, apesar de representar um aumento no valor de contribuição para uma faixa de servidores municipais, ainda apresenta valores bem abaixo dos praticados pelos planos de saúde privados.

“Como o Issem-Saúde é opcional, o servidor poderá ficar nele ou procurar um plano privado. Temos como exemplo, o servidor na faixa etária de 44 a 48 anos, que pagará R$ 162,05 de mensalidade no Issem-Saúde, mais a parte patronal (Prefeitura) de R$ 126,73, enquanto que num plano privado este valor é de R$ 457,77. Então, ainda continua sendo vantagem para o servidor”, finaliza Erdmann.

Quer saber das notícias de Jaraguá do Sul e Região primeiro? CLIQUE AQUI e participe do nosso grupo de WhatsApp!

Notícias relacionadas

x