Geral

Ortopedista de Jaraguá é o único brasileiro a participar de evento mundial de cirurgia holográfica

Médicos de 13 países debateram novidades na área da tecnologia utilizadas em cirurgias, a favor de resultados mais precisos e com custos menores. 

11/02/2021

Por

Ortopedista de Jaraguá é o único brasileiro a participar de evento mundial de cirurgia holográfica

O ortopedista Bruno Gobbato, do Hospital e Maternidade Jaraguá, foi o único médico brasileiro a participar do evento mundial de cirurgia holográfica “Microsoft Experience 24h”, que ocorreu na terça-feira, 9 de fevereiro. Médicos de 13 países debateram novidades na área da tecnologia utilizadas em cirurgias, a favor de resultados mais precisos e com custos menores. 

O procedimento apresentado pelo profissional de Jaraguá do Sul, durante o evento, foi a remoção de placa com artroscopia de ombro de um paciente. Na oportunidade, médicos dos Estados Unidos e da França acompanharam e fizeram sugestões em tempo real durante a cirurgia. O médico brasileiro destaca como benefício a possibilidade de usar modelos em 3D, que guiam os cirurgiões durante a intervenção. 

Leia mais:

Governo do estado recebe moção de apelo para reclassificar o São José, de Jaraguá do Sul, na Política Hospitalar Catarinense

Vereadores pedem que recursos para a construção da nova sede da Câmara sejam destinados à saúde

Vacina do Butantan é eficaz contra cepas sul-africana e britânica do novo coronavírus

A escolha de Gobbato, leva em conta a experiência nesse tipo de procedimento, que vem sendo realizado desde 2016, em Santa Catarina. “Somos um dos precursores da cirurgia com realidade aumentada no mundo. Uma das primeiras cirurgias ortopédicas, utilizando essa técnica foi realizada aqui, pela nossa equipe, em 2016”, comenta. 

De acordo com o profissional, diversas cirurgias dessa área já foram realizadas no Hospital e Maternidade de Jaraguá, que é pioneiro nessa técnica no Brasil. Bruno explica que o recurso, praticado pelos especialistas do Hospital, permite ao médico analisar com profundidade a área que necessita de intervenção. 

“Com os modelos 3D virtualmente projetados, o médico pode avaliar de forma completa a anatomia específica daquele paciente e daquela doença sem precisar expor o paciente a cortes maiores. Este tipo de tecnologia permite a realização de cirurgias com maior precisão e eficácia, o que é muito importante nas cirurgias de próteses e correções de algumas deformidades”, complementa.

Receba as notícias do JDV no seu WhatsApp!

 

 

 

Notícias relacionadas

x