Geral

Seminário de Turismo traz grandes temas à discussão em Jaraguá

Município institui a Política de apoio ao turismo

08/12/2020

Por

Seminário de Turismo traz grandes temas à discussão em Jaraguá

A Associação Empresarial de Jaraguá do/Núcleo de Hospitalidade Acijs, com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação, realizam na quarta e quinta-feira -9 e 10 de dezembro-, o 3º Seminário de Turismo, em formato virtual e gratuito. A ideia é motivar à continuidade e implementação de projetos, assim como soluções inovadoras para o setor no cenário pós-pandemia.

Leia mais:

Nos dois dias do evento, a transmissão será via plataforma Zoom, iniciando às 14h30. A programação prevê palestras que abordam temas relacionados ao agroturismo, cicloturismo, gastronomia e turismo religioso. Informações complementares no (47) 3275-7059 e inscrições pelo site clicando aqui.

Na quarta-feira (9), a palestra de abertura sobre “Novos olhares sobre o turismo – a perspectiva dos viajantes autônomos e autoguiados”, terá a presença de Charles Zimmermann. Segue o painel “Cicloturismo e eventos como estratégia de redução da sazonalidade nos destinos turísticos”, com Cleiton Dias – Circuito das Araucárias e Vale dos Encantos, Marinês Ronchi – Pedal da Mari e Antônio Olinto e Rafaela Asprino – autores de livros, guias e documentários de cicloturismo.

O segundo painel do dia tratará sobre “Gastronomia: Identidade, saudabilidade e inovação”, com Alex Caputo – Restaurante Compota, Elisiane Chiodini – Mãejerona Restaurante e Ângela Schroeder – Schroeder Platz.

Turismo religioso será o tema

No dia 10, quinta-feira, o empresário, turismólogo e jornalista Carlos Augusto Silveira Alves, mestre em turismo religioso, fará a palestra de abertura com o tema “Turismo Religioso: fé e espiritualidade como impulsionadoras da retomada pós-pandemia”.

Depois, o painel “Desenvolvimento de rotas, caminhos e destinos do turismo religioso”, com a Irmã Edna Bittencourt (Instituto Padre Aloísio), Marcos Jaboski (coordenador de sustentabilidade do Santuário Santa Paulina) e Nathália Hering (do Sebrae-MG). “Agroturismo: valorização da cultura local, diversificação de experiências e atração de turistas”, será o painel seguinte, com Evandro e Andressa Rux (Casa Rux), Jaqueline Foss – Roteiro Raízes Coloniais – Gramado, com moderação de Lucilene Assing, da Acolhida na Colônia.

Jaraguá institui política de apoio ao turismo

A Câmara de Vereadores aprovou o projeto de lei que institui a Política Municipal de Apoio ao Turismo Rural na Agricultura Familiar (TRAF) em Jaraguá do Sul.

O texto define como conjunto de atividades turísticas que ocorrem na unidade de produção de agricultores familiares, baseadas na oferta de produtos e serviços de qualidade, na valorização do modo de vida rural, assim como do patrimônio cultural e natural.

Entende-se como oferta de Turismo Rural na Agricultura Familiar (TRAF) o conjunto de locais, equipamentos, atividades, serviços, eventos ou manifestações ligadas ao meio rural, capazes de motivar o deslocamento de visitantes para conhecê-los e usufruí-los de forma sustentável.

Define também como agricultor familiar e empreendedor familiar rural aquele que pratica atividades no meio rural, atendendo, simultaneamente, aos requisitos como área igual ou menor do que quatro módulos fiscais, utilize predominantemente mão de obra familiar nas atividades econômicas do seu estabelecimento e dirija seu estabelecimento ou empreendimento com sua família.

As atividades de Turismo Rural na Agricultura Familiar são os serviços de hospedagem que ofereçam atendimento personalizado ao hóspede e que estejam afinados com o modo de vida rural; serviços de lazer relacionados a passeios, danças típicas, pesca, cavalgadas, entre outros; serviços de alimentação que valorizem a originalidade do atrativo gastronômico, oferecendo alimentos que resgatem a culinária local e seus aspectos culturais.

Serviços não podem ultrapassar 120 dias no ano

Também visita a unidades de produção agropecuária e/ou agroindustriais de pequeno porte que possam ser utilizadas como atrativos, eventos festivos e ou promocionais integrados ao desenvolvimento e à cultura local, venda direta ao visitante de produtos de origem animal ou vegetal in natura ou transformados artesanalmente, além do artesanato.

Os serviços prestados no âmbito do imóvel rural, segundo a legislação aprovada, não poderão ultrapassar 120 dias no ano, sob pena da perda do tratamento diferenciado da atividade turística rural na agricultura familiar.

Todos devem obedecer a legislação sanitária, tributária, agro industrialização e produção artesanal.

Decoração rústica foi tema da capacitação on-line em Agroturismo

Decorar os empreendimentos rurais com materiais rústicos que conduzam os turistas ao bucólico ambiente campesino foi a proposta da penúltima etapa de capacitação em Agroturismo ocorrida de modo virtual no dia 30 de novembro, iniciativa da Prefeitura/ Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação, com apoio da Secretaria de Agricultura e Epagri.

A última etapa está marcada para o dia 15 de dezembro, terça-feira, tendo como foco a produção orgânica. Ao final será entregue a Declaração de Participação e, na sequência, a formatação do roteiro.

Fazem parte deste projeto a Strudel Haus, Pesque e Pague Recanto dos Amigos, Sítio Harmonia, Casa Rux, Mirante do Vale, Cachaçaria Junckes, Fazenda Leão da Montanha, CT Hardt, Berghaus, Galpão Crioulo Eventos, Sítio MM Orgânicos, Pousada Cantinho do Vale e Recanto Novo Sentir.

Há um ano, a capacitação foi iniciada com 21 inscritos, ministrada pela engenheira agrônoma Lucilene Assing.

Em outubro de 2019, as duas primeiras propriedades visitadas foram a Casa Rux, no Rio da Luz, e o Sítio Harmonia, em Rio da Luz Vitória. Segue os moldes do projeto “Acolhida na Colônia”, originário da França em 1987 e implantado no Brasil em 1999. Valoriza a simplicidade da vida do campo, os produtos orgânicos, ecossustentáveis e naturais.

Consultora diz que cidade poderá implantar o roteiro agroturístico

A consultora Lucilene Assing explica que é necessário falar “a mesma língua sobre o rústico”. Entre os temas abordados estão a importância da decoração com materiais locais e naturais, a composição dos quartos para hóspedes e a qualidade das roupas de cama, colchão e travesseiros, assim como a qualidade dos móveis, equipamentos e das louças.

Também foram repassadas dicas de como deixar os ambientes mais aconchegantes aos hóspedes.

Lucilene Assing atesta que as capacitações são importantes tanto na qualificação dos agricultores, como nos produtos e serviços a serem ofertados. “O objetivo, no final da capacitação, é que pelo menos 10 propriedades ou estabelecimentos estejam preparados para abrir suas portas e receber turistas. E que com essas propriedades seja possível montar um roteiro de Agroturismo em Jaraguá do Sul”, conclui.

 

 

Notícias relacionadas

x